PUBLICIDADE
Topo

'Roteiristas do Brasil perderam a mão', dizem Bruno Mazzeo e Antônio Prata

Bruno Mazzeo em Conversa com Bial - Reprodução/vídeo
Bruno Mazzeo em Conversa com Bial Imagem: Reprodução/vídeo
do UOL

Colaboração para o UOL

11/07/2020 03h09

Os humoristas Bruno Mazzeo e Antônio Prata estiveram nesta madrugada no "Conversa com Bial", na Rede Globo, para explicar como se reinventaram criativamente durante a quarentena, e obviamente falaram sobre a situação política do país que, segundo eles, está nas mãos de roteiristas perdidos.

"Os roteiristas [do Brasil] perderam a mão faz tempo. A dramaturgia foi ficando cada vez mais confusa e cada vez pior", disse Antônio sobre o que o motivou a criar a websérie "Sala de Roteiro", que simula, através de videoconferência, uma reunião de roteiristas que transformam a política do país em ficção, ironizando os acontecimentos da vida real.

Para Antônio, o roteiro da política recente do Brasil começou a desandar no ano de 2013:

Não sei se o roteirista estava drogado ou eram equipes de roteiristas diferentes em que cada uma escrevia um episódio sem respeitar a sinopse. Um dia a passeata era de esquerda, no outro, de direita. Um dia o movimento se chamava MPL, e no outro, MBL, só trocaram uma letra

Quem também conseguiu transformar a quarentena em ferramenta de fazer rir foi o Bruno Mazzeo com a série "Diário de Um Confinado", disponível na Globoplay, e exibida na Multishow e Globo. Diferente do produto criado por Antônio, que se baseia em acontecimentos externos, o dele olha para dentro do lar e retrata a rotina bagunçada de um solteirão tentando não enlouquecer no isolamento social.

Dirigida por Joana Jabace, esposa de Bruno, a série foi gravada dentro do apartamento do casal durante 23 dias, praticamente 24h por dia, e contou com a ajuda de uma terceira mão; a do diretor de fotografia Glauco Firpo, que ficou morando com eles enquanto durou o tempo de produção.

Segundo o ator, uma das partes mais difíceis, além de ter que conciliar a gravação dentro da própria casa com o tempo e os dois filhos, foi o roteiro: "O desafio para mim era criar uma trama com uma única pessoa em um único cenário", revelou.

Bruno ainda deixou claro que não será uma pandemia, ou qualquer outro obstáculo, que os impedirá de produzirem conteúdos:

Estamos vivendo em um momento de exceção e temos que provar para nós mesmos que passaremos por isso exercendo o nosso dom de comunicar. Pode ter guerra, ditadura ou pandemia que vamos dar um jeito de fazer

O "Conversa com o Bial" vai ao ar de segunda à sexta-feira após o "Jornal da Globo".

Entretenimento