PUBLICIDADE
Topo

Justiça espanhola absolve 36 jogadores acusados de corrupção no futebol

Denúncia havia sido apresentada por Javier Tebas, presidente da LaLiga, com base em declaração de ex-jogador do Zaragoza - Jan Kruger/Getty Images
Denúncia havia sido apresentada por Javier Tebas, presidente da LaLiga, com base em declaração de ex-jogador do Zaragoza Imagem: Jan Kruger/Getty Images

Da EFE, em Valência (Espanha)

09/12/2019 15h46

A Justiça da Espanha absolveu hoje 36 jogadores, entre eles o brasileiro Wellington Silva, que eram acusados de corrupção em uma partida entre Levante e Zaragoza, válida pela temporada 2010/2011 do Campeonato Espanhol.

O atacante do Internacional, que em 2011 defendia o Levante, foi investigado ao lado de outros 35 jogadores, após denúncia apresentada pelo atual presidente da LaLiga, Javier Tebas, com base no que um ex-jogador do clube de Zaragoza lhe disse.

De acordo com a denúncia, o Zaragoza pagou 1,7 milhão de euros aos jogadores do Levante para perderem e evitar seu rebaixamento.

O Levante acabou sendo derrotado por 2 a 1 e o Deportivo La Coruña acabou caindo para a segunda divisão.

O Tribunal Penal de Valência considerou que não tinha condições de confirmar que o destino do dinheiro eram os jogadores do Levante e rejeita que o jogo tenha sido manipulado.

No entanto, dois ex-dirigentes do Zaragoza foram condenados a um ano e três meses de prisão por crime de falsidade documental.

O ex-presidente Agapito Iglesias e o antigo diretor financeiro, Javier Porquera, são acusados de alterar a folha de pagamento dos jogadores para esconder o destino de 1,7 milhão de euros, que eles desviaram do clube antes de sua iminente entrada em falência.

No Brasil, quadrilha é presa por manipular resultados de jogos de futebol

Band Notí­cias

Esporte