Topo

Verstappen vence corrida eletrizante em Interlagos; Gasly consegue 1º pódio

17/11/2019 16h11

São Paulo, 17 nov (EFE).- O holandês Max Verstappen, da Red Bull, não deu chance para o azar, como ocorreu no ano passado, e venceu pela primeira vez o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, disputado no circuito de Interlagos, em que o francês Pierre Gasly, da Toro Rosso, foi segundo e subiu ao pódio de maneira inédita.

Em 2018, o jovem piloto liderou a prova em Sâo Paulo por 20 voltas, mas acabou tocando no francês Esteban Ocon, então na Racing Point, que era retardatário, e acabou precisando parar no boxes, o que o deixou atrás do britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, que chegou em primeiro.

Verstappen, que já havia obtido a pole position, largou bem e se manteve na frente e liderou até a primeira parada nos boxes, quando teve que esperar os rivais na briga para a vitória também trocarem os pneus para retomar a ponta.

A emoção no mais alto nível possível veio mesmo na reta final do GP do Brasil, com duas entradas do carro de segurança. A primeira, por causa de problemas no carro do finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes. Verstappen parou, mas Hamilton ficou na pista.

Na relargada, no entanto, o holandês foi impecável e ultrapassou o campeão mundial por antecipação, em grande manobra. A partir dali, disparou e não foi incomodado mesmo na segunda bandeira amarela, provocada por colisão entre os dois carros da Ferrari, do alemão Sebastian Vettel e do monegasco Charles Leclerc.

O carro de segurança entrou na pista com três voltas para o fim, e Hamilton aproveitou para colocar pneus macios, logo ultrapassar Gasly e partir para cima do tailandês Alexander Albon, da Red Bull, que ocupava o segundo posto. Na penúltima volta, no entanto, o britânico tocou no estreante em Interlagos, que despencou para 14º.

Com essa briga, o francês da Toro Rosso, que foi demitido no meio da temporada, justamente para dar lugar a Albon, se aproveitou e pulou para a segunda colocação, que segurou até o fim. Com isso, Gasly subiu ao pódio pela primeira vez na carreira.

Hamilton cruzou a linha de chegada na terceira posição e subiu ao pódio, embora, o incidente com o tailandês ainda estivesse em investigação depois da premiação da prova, a penúltima do ano.

Em quarto, terminou o espanhol Carlos Sainz, da McLaren, que havia largado na última posição, por causa de problemas mecânicos logo no início da sessão de classificação. O finlandês Kimi Raikkonen, da Alfa Romeo, completou o 'top-5'.

No sexto posto chegou o outro piloto da equipe suíça, o italiano Antonio Giovinazzi, que foi seguido pelo australiano Daniel Ricciardo, da Renault; pelo britânico Lando Norris, da McLaren; pelo mexicano Sergio Pérez, da Racing Point; e pelo russo Daniil Kvyat, da Toro Rosso, que chegou em décimo. EFE

Esporte