Topo

Uefa investigará gesto de apoio da seleção turca a ataques na Síria

Jogadores da seleção da Turquia fazem saudação militar em apoio à ofensiva na fronteira - HUSEYIN ALDEMIR/REUTERS
Jogadores da seleção da Turquia fazem saudação militar em apoio à ofensiva na fronteira Imagem: HUSEYIN ALDEMIR/REUTERS
do UOL

Do UOL, em São Paulo

14/10/2019 16h50

Os confrontos na fronteira da Síria, com a ofensiva da Turquia diante dos curdos, chegou à Uefa. Após jogadores da seleção turca demonstrarem apoio aos ataques, a entidade afirmou que deve investigar o ocorrido.

"Posso garantir que examinaremos a situação", disse o porta-voz da Uefa, Philip Townsend, após admitir que as manifestações podem ter sido provocativas.

A entidade declarou que irá investigar as manifestações de apoio de jogadores da seleção da Turquia aos ataques do país contra curdos na fronteira com a Síria.

No último jogo da Turquia, que venceu a Albânia por 1 a 0 pelas eliminatórias da Eurocopa de 2020, atletas e comissão técnica comemoraram o resultado com saudações militares.

A continência foi registrada em imagens postadas nas redes sociais oficiais da equipe com a seguinte legenda: "Por nossa nação, especialmente pelos que arriscam suas vidas por nós".

Manifestações políticas em campo não são permitidas pela Uefa. A postura dos turcos levou diversos franceses a reclamarem sanções para a seleção — a França será a próxima adversária da Turquia pelas eliminatórias, ainda hoje.

"Atuando como um megafone para a propaganda de Erdogan, cujas ações na Síria preocupam a comunidade internacional, a equipe nacional de futebol da Turquia zombou dos valores do esporte. Está na hora da Uefa sancionar essa tendência política da Federação Turca de Futebol!", escreveu no Twitter a deputada francesa Marine Le Pen

* Com informações da agência ANSA

Esporte