Topo

Elenco encerra greve, Figueirense treina sexta e voltará a jogar sábado

Jogadores do Figueirense não sobem a campo para o jogo contra o Cuiabá - Reprodução
Jogadores do Figueirense não sobem a campo para o jogo contra o Cuiabá
Imagem: Reprodução
do UOL

Brunno Carvalho e José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

23/08/2019 01h38

Os jogadores do Figueirense decidiram interromper a greve e voltar aos treinamentos hoje (23), três dias depois de não entrarem em campo diante do Cuiabá, pela Série B do Brasileiro. A informação foi confirmada pelo escritório responsável pela defesa dos atletas, que protestam contra o atraso no pagamento de salários.

Mesmo sem a diretoria cumprir com os débitos, o elenco trabalha nesta sexta e retorna a campo no sábado (24), dia do confronto contra o CRB, marcado para as 19h (de Brasília), no estádio Orlando Scarpelli.

"Em respeito à instituição Figueirense FC e à nossa torcida, que tem nos apoiado tanto, decidimos, mesmo sem que a diretoria tenha cumprido com nenhuma das nossas exigências, não tenha efetuado os pagamentos salariais e direitos de Imagem, não dialogue conosco, retornar aos treinos amanhã, confirmando que estaremos em busca da vitória na partida de sábado", afirmam, em nota, os jogadores.

No mesmo comunicado, os atletas não descartam repetir a atitude da última terça-feira futuramente, caso a diretoria não cumpra com o exigido. Além do elenco principal, sem pagamento desde julho e direitos de imagem desde maio, jogadores da base e funcionários também possuem os vencimentos atrasados.

Como medida firme de protesto, os jogadores do time profissional não entraram em campo no jogo contra o Cuiabá, disputado na terça-feira, e promoveram um raro resultado de W.O. dentro das principais divisões do futebol brasileiro.

A delegação se dirigiu à Arena Pantanal e aguardava um acordo de última hora para entrar em campo, o que não aconteceu. Faltando cerca de 10min para o fim do prazo estimado em regulamento para ser decretado o W.O., os jogadores deixaram a Arena Pantanal.

A posição de protesto, portanto, segue firme entre os jogadores.

"Reiteramos que até o momento não há diálogo com a diretoria executiva, que parece ignorar o momento que estamos vivendo, e que voltaremos às atividades em respeito à instituição Figueirense FC e à nossa torcida. Porém, não podemos continuar que estas condições continuem e, caso o impasse não seja resolvido pela diretoria, podermos paralisar as atividades novamente", acrescenta a nota divulgada ontem.

Mais Esporte