Topo

Caso Paulinho: presidente do Vasco vê 'movimento político' na investigação

Presidente do Vasco, Alexandre Campello discursa em evento sobre projeto de construção do CT do clube - Rafael Ribeiro / Site oficial do Vasco
Presidente do Vasco, Alexandre Campello discursa em evento sobre projeto de construção do CT do clube Imagem: Rafael Ribeiro / Site oficial do Vasco
do UOL

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

22/08/2019 23h13

Durante a apresentação do projeto de construção do centro de treinamento do Vasco, o presidente do clube, Alexandre Campello, precisou responder questionamentos sobre o inquérito aberto pela Delegacia de Defraudações da Polícia Civil do Rio de Janeiro para apurar as movimentações bancárias envolvendo o valor referente à venda do atacante Paulinho para o Bayer Leverkusen (ALE) no ano passado.

Um dos alvos da investigação, o dirigente se disse tranquilo e apontou um "movimento político" como a causa das suspeitas policiais:

"Eu vejo com muita tranquilidade, porque isso já foi mais do que investigado. Foi exaustivamente revisto pela oposição, pelo Conselho Fiscal, pela CBF... Então estou absolutamente tranquilo. Tenho certeza de que isso é um movimento político. Isso não partiu do nada. Certamente partiu de uma denúncia estimulada e trabalhada pela oposição. Estou mais preocupado em equilibrar o Vasco financeiramente e dar soluções aos problemas do clube".

Paulinho foi vendido ano passado pelo Vasco ao Bayer Leverkusen por cerca de R$ 76 milhões - Divulgação
Paulinho foi vendido ano passado pelo Vasco ao Bayer Leverkusen por cerca de R$ 76 milhões
Imagem: Divulgação

O inquérito apura se a conta utilizada pelo Vasco no Banco Paulista foi parte de uma ação para desviar o clube de credores, situação que, caso seja comprovada, pode ser enquadrada no crime de "fraude a credores". Essa informação foi publicada, inicialmente, pelo site do "Globo Esporte" e confirmada pelo UOL Esporte.

Sobre as movimentações, Campello entrou em alguns detalhes:

"Todo o dinheiro entrou numa conta do Vasco e foi movimentada dentro de contas do Vasco. A suspeita não é de que o presidente desviou dinheiro do clube. A suspeita é de que o presidente tenha, de alguma forma, ludibriado os credores. Ou seja, protegendo o Vasco de seus credores, escondendo o dinheiro, e isso absolutamente não existiu. Esse dinheiro nunca foi movimentado para conta que não seja do Vasco, sempre esteve em conta do Vasco e, várias vezes, o Vasco teve suas contas penhoradas. Estou absolutamente tranquilo.

A Delegacia de Defraudações passará a colher depoimentos a partir da semana que vem. Alexandre Campello é um dos aguardados.

Paulinho foi vendido ao Bayer Leverkusen por cerca de R$ 76 milhões.

Mais Esporte