PUBLICIDADE
Topo
Entretenimento

Entretenimento

Morto na fazenda de Leonardo, Passim era primo e braço direito do cantor

Passim era primo de Leonardo e trabalhava com ele como secretário pessoal e segurança - Reprodução/Instagram
Passim era primo de Leonardo e trabalhava com ele como secretário pessoal e segurança Imagem: Reprodução/Instagram
do UOL

Felipe Pinheiro

Do UOL, em São Paulo

05/03/2021 14h17

Considerado homem da confiança de Leonardo, Passim não era somente membro da equipe do cantor. Ele, que morreu aos 60 anos após um possível tiro acidental na fazenda Talismã, no interior de Goiás, era da família, primo do sertanejo, e atuava profissionalmente como segurança e secretário pessoal.

"Leonardo e Passim são primos, se conhecem desde meninos. A dor é muito grande. Ele era um querido, alegre, contador de histórias. Braço direito do Leonardo, viajava com ele, o acompanhava na fazenda", disse ao UOL a assessora de imprensa de Leonardo, Ede Cury.

Passim e Leonardo eram primos e amigos

A assessora disse ter conversado com Passim há poucos dias e que ele chegou a enviar uma mensagem de áudio emocionado. A equipe de Leonardo atravessa um momento delicado pela pandemia, e isso acabou sensibilizando o segurança.

"Ele dizia na gravação que o que queria para esse ano era saúde, para todos estarem juntos de novo. A equipe do Leonardo está separada há mais de um ano por causa da pandemia. Nunca vivemos isso porque sempre estamos juntos na estrada para os shows. Era praticamente todo mundo junto o tempo todo", explicou ela.

Coração grande e alto-astral

Amigo de Passim, o advogado Neto Caixeta era parceiro dele de pesca  - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Amigo de Passim, o advogado Neto Caixeta era parceiro dele de pesca
Imagem: Reprodução/Instagram

Newton Rodrigues da Silva Passini, ou simplesmente Passim para os mais próximos, é descrito pelos amigos como divertido, boa praça e piadista. Um dos hobbies favoritos era pescar.

O advogado Neto Caixeta era amigo de Passim há 22 anos e dividiu com ele muitos momentos agradáveis. Neto se recorda de uma situação hilária que exemplifica como era o primo de Leonardo.

"Estávamos na casa de um amigo, no rancho, todo mundo entrou na piscina para tomar uma cerveja e ele não tinha levado sunga. Ele esperou escurecer um pouco. De repente, surgiu de cueca e entrou na piscina na frente de todo mundo. Era uma figura!", conta o advogado, que conheceu o amigo no Carnaval de 1999 na mesma fazenda onde ele morreu.

Ele era um ser humano inigualável. Coração grande, companheiro, muito solícito. Quem o conhecia ficava fã de imediato. Era humilde e não maltratava ninguém.

Outras características de Passim eram a criatividade para contar piadas e a identificação com a música. "O Leonardo falava, conta aí uma piada! Ele sempre tinha uma piada nova. Era um cara leve!", diz Ede Cury. "Ele tinha esse jeitão. Era simples e estava sempre ao seu lado quando você precisava".

Passim também estava ao lado de Leonardo em momentos difíceis, como a morte de Leandro, em 1998, e o acidente com Pedro Leonardo, filho do cantor, em 2012.

"Se o chamassem de assessor de imprensa era capaz dele sair correndo para o Japão! Ele gostava de uma vida mais tranquila, até pelas coisas difíceis e de muita movimentação da imprensa que acompanhou".

Passim deixa a mulher, Vania Rodrigues, e dois filhos, Hugo e Igor. Informações sobre o velório não foram divulgadas até o momento.

Entretenimento