Topo

Poirier evita apontar falhas no jogo de Khabib: "27 tentaram, 27 falharam"

Ag. Fight

2019-06-17T14:04:34

17/06/2019 14h04

O título interino dos pesos-leves (70 kg), conquistado por Dustin Poirier no último mês de abril, já é coisa do passado. Toda a concentração do americano agora é em obter o cinturão linear, contra Khabib Nurmagomedov, em 7 de setembro, no UFC 242. E, embora acredite que será capaz de derrotar o russo, 'Diamond' admitiu que seu adversário não tem grandes falhas a serem exploradas.

Em entrevista ao site 'MMA Fighting', Poirier declarou que trabalhar unicamente em supostas lacunas no jogo de Khabib seria inócuo, uma vez que 'The Eagle' está invicto em sua carreira, tendo vencido grandes nomes do MMA, como Conor McGregor, Edson Barboza e Al Iaquinta. Ele ressaltou a própria capacidade de fazer os oponentes cometerem erros.

"27 tentaram, 27 falharam. Muitas pessoas têm me perguntado onde vejo fraquezas no jogo de Khabib ou onde acho que ele comete erros. Estive sentando com meus treinadores e pensando sobre isso, e não acho, realmente, que eu preciso que ele seja fraco para que eu seja forte. Não preciso de enormes buracos. Vou criá-los com a minha pressão, meu QI de luta e com minha experiência e a quantidade de rounds e anos em que eu venho fazendo isso. (...) Vou criar essas aberturas das quais estamos falando", falou, antes de apontar quais características podem ajudá-lo a tirar a invencibilidade de Nurmagomedov.

"Experiência, autoconfiança, meu jeito de pensar. Estou concentrado em fazer história, e isso é tudo o com o que me importo. As próximas 11 semanas se tratam disso: de me preparar para fazer 25 minutos do que tenha de ser feito para ter minha mão levantada. Não preciso encontrar grandes buracos. O cara é bom. Não posso chegar aqui e falar qualquer coisa ruim sobre o cara. Ele é bom. É o campeão do mundo. Mas vou fazer coisas acontecerem lá e levá-lo a lugares onde ele nunca esteve. É simplesmente isso", analisou.

Poirier tem 31 lutas profissionais, com 25 vitórias, cinco derrotas e um 'no contest'. Aos 30 anos, ele vive o melhor momento de sua carreira, estando invicto desde 2016. De lá para cá, foram cinco vitórias e o combate sem resultado já citado. Ele conquistou o título interino dos leves ao derrotar Max Holloway, campeão peso-pena (66 kg), por decisão unânime.

Mais Esporte