PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro elogia Regina Duarte para Cultura: "É equilibrada e responsável"

Bolsonaro diz que noivado com Regina Duarte continua - Reprodução/Twitter
Bolsonaro diz que noivado com Regina Duarte continua Imagem: Reprodução/Twitter
do UOL

Do UOL, em São Paulo

23/01/2020 20h23

Após encontro com Regina Duarte, realizado ontem em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), elogiou a atriz veterana de 72 anos dizendo se tratar de uma pessoa "equilibrada e responsável" e "ninguém melhor do que ela" para assumir a Secretaria Especial da Cultura.

A declaração de Bolsonaro ocorreu durante transmissão em vídeo, ao lado do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

"No dia de ontem, estive com Regina Duarte em um encontro muito amistoso, bastante proveitoso. Mostramos o gigantismo da Secretaria da Cultura a ela", iniciou Bolsonaro.

"Ela está muito bem disposta, com gás, com vontade e quer colaborar. Se Deus, vai dar tudo certo. Ela é uma pessoa equilibrada, vivida, responsável, está tomando conta do que é a Cultura para aceitar. Pelo que tudo indica, ela aceitará. Então, Regina Duarte, se vier, será muito bem-vinda. Ninguém melhor do que você para desempenhar essa função", acrescentou.

O nome da atriz global foi levantado como possível substituta de Roberto Alvim, que acabou sendo exonerado após um discurso em que parecia citar Joseph Goebbels, oficial do governo nazista de Adolf Hitler na Alemanha dos anos 1930 e 1940.

Na última sexta-feira, Duarte confirmou que havia recebido uma ligação de Bolsonaro com a proposta. Segundo ela, sua resposta inicial foi que "não estava preparada" para o cargo.

Para abrigar a atriz em seu governo, o presidente Jair Bolsonaro avalia até a recriação do Ministério da Cultura, segundo interlocutores do Planalto. O governo acredita que Regina é muito reconhecida para um status de secretária.

Alguns colegas de profissão têm atacado a indicação de Regina. O ator José de Abreu foi um dos que foi às redes para reclamar."A mulher ideal para participar do governo nazista-homofóbico-miliciano", escreveu ele ao compartilhar uma declaração da atriz em seu Instagram, em que ela diz que Jair Bolsonaro é uma pessoa "doce".

Já a produtora Paula Lavigne declarou que ter Regina Duarte no governo "pode ajudar" a classe artística: "Ela é de direita, mas não é nazista".

Em 2019, na ocasião da nomeação de Alvim, Duarte fez críticas ao secretário. "Quem me conhece sabe que, se eu pudesse opinar, teria sugerido outro perfil. Alguém com mais experiência em gestão pública e mais agregadora da classe artística", falou.

Almoço com Bolsonaro, Eduardo e... Alexandre Garcia

Segundo UOL apurou, no encontro com Bolsonaro, a atriz se empenhou em entender as diretrizes e perspectivas da pasta. Na agenda com Bolsonaro, no entanto, não abordou temas técnicos, a exemplo das limitações orçamentárias na área da Cultura e o número de assessores que vão trabalhar com ela.

Esses assuntos foram discutidos posteriormente em uma reunião entre Regina Duarte e três ministros: Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) e Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência).

Durante a visita ao Planalto, a artista evitou a imprensa tanto na chegada quanto na saída. Até 16h30, ela mantinha a "novela" se aceitaria ou não o convite para assumir a Secretaria Especial de Cultura.

Entretenimento