Topo

Diverticulite: César Filho piorou porque demorou para ir a hospital

O apresentador César Filho, da Record  - Reprodução/Instagram
O apresentador César Filho, da Record Imagem: Reprodução/Instagram
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

do UOL

Colunista do UOL

14/11/2019 12h42

Já recuperado e em casa, César Filho passou um grande susto esta semana após ser internado com diverticulite.

Ele correu risco, inclusive, de sofrer uma septicemia devido ao tempo que demorou entre os primeiros sintomas e a entrada no hospital Sírio Libanês.

"Eu me senti mal durante uma festa no sábado à noite, eu estava com a Elaine", contou à coluna nesta quinta (14).

O apresentador do "Hoje em Dia" disse que "do nada" veio uma enorme dor no abdômen. "De repente veio um tipo de cólica horrível. Veio e não parou". Ele avisou a mulher e foi para o banheiro, porque na hora desconfiou que pudesse estar com algum problema de desarranjo.

Antes fosse. Com dor ele foi para sua casa, na Grande São Paulo, e falou com seu médico —que imediatamente diagnosticou "diverticulite". Prescreveu remédios.

Nem sempre a diverticulite chega ao ponto da internação. Muitas vezes apenas com remédios a doença regride e ocorre a cura.

Foi isso que ele pensou, pois no domingo as dores diminuíram.

Mas, não desapareceram. Na segunda ele ainda não estava bem-disposto, mas mesmo assim foi trabalhar.

De segunda para terça, porém, a dor não estava de volta totalmente, como em maior intensidade ainda.

"Não dormi de segunda para terça de tanta dor", contou à coluna.

Mesmo assim, teimoso, foi novamente trabalhar e apresentou o "Hoje em Dia" do começo ao fim.

No final do programa ele disse que já estava se sentindo muito mal, com calafrios, suores, arrepios percorrendo o corpo.

Então viu que a coisa tinha definitivamente fugido ao controle.

"Saí do estúdio e fui direto para a internação no Sírio", disse.

No exame o hospital constatou que o divertículo (pequenas protuberâncias ou apêndices que podem ou não surgir no intestino grosso com a idade) já havia rompido, e que uma infecção estava em curso para outros órgãos.

A equipe teve de bombardear o apresentador com antibióticos "pesados" pois havia risco claro de septicemia.

César ainda deve tomar antibióticos por dez dias. Ele volta nesta quinta ao Sírio para fazer novos exames.

Ele prevê que retorna à Record na próxima segunda. Mas quem vai dar a palavra final é o médico.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops

Entretenimento