PUBLICIDADE
Topo

Nelson Ned lutou contra as drogas e chegou a acertar um tiro na própria esposa

Reprodução
Imagem: Reprodução

do BOL, em São Paulo

05/01/2014 16h02

O cantor Nelson Ned d'Ávila Pinto, mais conhecido como Nelson Ned, morreu na manhã deste domingo (5) em Cotia, SP, em decorrência de "complicações clínicas".

Sucesso nos anos 60, o cantor confessou em entrevistas que passou por momentos difíceis antes de se converter à religião evangélica nos anos 90.

Ned tinha um vício em bebidas e em drogas, e chegava a beber até um litro de uísque por dia. A informação foi confirmada pela mulher do cantor, Maria Aparecida, durante uma participação no programa "A Tarde É Sua", em 2012. Na ocasião, Cida confirmou a história de que em uma das vezes em que estava bêbado, Ned atirou e acertou a sua clavícula, que quebrou.

Com 45 milhões de cópias de discos vendidos em todo o mundo, Ned foi o primeiro latino-americano a vender um milhão de discos no mercado dos Estados Unidos, onde se apresentou junto do espanhol Julio Iglesias e do americano Tony Bennett, lotando três vezes o mítico Carnegie Hall, em Nova York. Ainda na Big Apple, o cantor se apresentou no famoso Madison Square Garden.

No entanto, nos últimos anos, Ned enfrentava problemas de saúde e financeiros.


Como consequência do AVC sofrido em 2003, o intérprete de "Tudo Passará" perdeu a visão de um olho e precisava se locomover com a ajuda de uma cadeira de rodas, além de enfrentar diabetes, hipertensão arterial e o diagnóstico de Mal de Alzheimer em fase inicial.

Ned foi internado em "estado grave" no último sábado (4/1), mas "estável", com uma "infecção respiratória aguda", pneumonia e problemas na bexiga. Ele morreu em decorrência de "complicações clínicas". O horário do óbito não foi confirmado.

 

Entretenimento