Topo

Com vaias a Ganso e João Pedro, Fluminense perde para próprias limitações

do UOL

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

18/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Mais forte e entrosado, Athletico é mais time e foi melhor no jogo no Maracanã
  • Furacão não deixou Daniel jogar e explorou limitação de Caio Henrique na marcação
  • Nenê não fez grande partida e mereceu a substituição, que sobrecarregou Ganso
  • Tricolor precisava de velocidade, e o meia, lento, virou alvo da torcida
  • Partida ruim de Allan e mexidas que não surtiram efeito cobraram a conta
  • Vaias recorrentes para João Pedro têm grande parcela extracampo

O Fluminense viu sua sequência invicta no Campeonato Brasileiro se encerrar em derrota para o Athletico Paranaense no Maracanã. O canto de apoio em alto volume vindo das arquibancadas na primeira etapa mudou para vaias no segundo tempo. Ganso e João Pedro viraram alvos da torcida, mesmo com o placar refletindo a partida: mais forte e entrosado, o time visitante jogou melhor e mereceu a vitória.

"Nossa equipe em casa não teve resultado. Todos nós seremos cobrados. Hoje em especial, o Ganso e o João Pedro foram mais que os outros. Faremos o que for possível para se recuperar. Estamos em uma grande equipe, com uma torcida imensa, e quem está aqui sabe que pode ser cobrado e tem que estar preparado para isso", opinou o técnico Marcão, que como jogador ouviu a torcida 397 vezes em fases boas e ruins.

Com dois anos de trabalho no rubro-negro paranaense, Tiago Nunes tem o elenco na mão. As variações táticas estão em dia, bem como a força coletiva da equipe. O treinador colocou o elogiadíssimo Bruno Guimarães mais à esquerda contra o Flu, pressionando Gilberto e prendendo Daniel na marcação. O que se viu foi um Tricolor com enorme dificuldade de sair para o jogo com seu principal armador marcado.

Além disso, a aglomeração de jogadores do Furacão pela esquerda abriu espaço para o mano a mano na direita. A ideia era deixar Rony, destaque do ataque atleticano, marcado apenas por Caio Henrique. Não foi à toa: além de o atacante ser mais alto, forte e rápido, o volante improvisado na lateral-esquerda, por mais que venha tendo boas atuações, ainda tem detalhes a serem corrigidos na marcação, principalmente na bola aérea. A cada cruzamento da direita para a esquerda ou inversão no mesmo sentido, a defesa tricolor entrava em "Deus nos acuda". Em um lançamento primoroso de Wellington por aquele lado, Madson abriu o placar em chute cruzado na "bochecha" da rede.

A falta de velocidade para escapar da pressão na marcação do Athletico fez a torcida pegar no pé do jogador mais lento da equipe: Ganso, que teve boa atuação na primeira etapa. O camisa 10 achou bons passes quando foi acionado, em especial a bola para João Pedro, no gol anulado pelo VAR, e um toque de calcanhar, já na segunda etapa, mal aproveitado pelo jovem de 18 anos. Se não era espetacular, vinha melhor que Nenê, que, mesmo mais veloz e autor de lindo lençol em Bruno Guimarães, não teve boa atuação.

As substituições de Marcão não surtiram efeito. Caio Henrique não funcionou pelo meio, Orinho não entrou bem na lateral-esquerda, e o Flu perdeu na criação. Faltou uma alternativa: com Daniel bem marcado e Allan em noite ruim, o Tricolor não tinha grandes opções para o setor. Yuri, mais marcador, ficou no banco, e Dodi, tão franzino quanto o titular, provavelmente seria presa fácil como foi o camisa 20.

Mailson Santana/Fluminense FC
Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC

Além disso, as saídas de Nenê e Daniel sobrecarregaram Ganso. Além da transição que não funcionava e o obrigava a recuar ainda mais quando o Fluminense precisava de um jogador mais avançado, não havia quem abastecesse Wellington Nem, que se aproveitou de bolas estouradas e esticadas da defesa. A mexida "por atacado" ainda cedo no segundo tempo, quando o time ainda fazia bom jogo, talvez tenha sido o grande erro do técnico.

"Pensamos em criar algo diferente. É isso que você falou. Muita marcação, estava preso demais. Ele [Daniel] estava em muita dificuldade, o Tiago (Nunes) marcou muito bem, viu que o Daniel era o responsável por conduzir a equipe e o segurou mais atrás. A gente pensou em colocar mais velocidade para chegar mais fácil. Mas tivemos pouco jogo apoiado, paramos de tomar conta da bola e não conseguimos furar o bloqueio deles", admitiu o treinador na coletiva.

Lucas Merçon/Fluminense FC
Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC

Com dificuldades na criação e na saída de bola, mais um resultado do jogo ruim de Allan, o Tricolor acabou sendo presa fácil. O Athletico, entretanto, deu espaços na marcação e falhou muito no último passe. Foi em um escanteio que Madson subiu mais que Orinho e testou no ângulo, sem chances para Muriel e Gilberto, que se esforçou mas não evitou o gol da virada.

Thiago Ribeiro/AGIF
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Quem também voltou a ser criticado foi João Pedro, que não balança as redes há nove jogos. Porém, o atacante de 18 anos voltou a se esforçar muito e até a marcar, mas teve seu gol bem anulado pelo árbitro de vídeo. O momento em que as vaias começaram é de se destacar. O jogador assumiu namoro com a atriz Mel Maia, no ar na novela "A Dona do Pedaço", da Rede Globo. Durante o "Rock in Rio", maior festival de música do mundo, os dois publicaram fotos nas redes sociais. Sem fazer gol e às vésperas de partidas importantes, o atleta passou a ser perseguido pela torcida.

O atacante não atuou bem em todas as partidas desde seu último gol, sobre o Fortaleza, em setembro. Algo normal para um jogador de 18 anos, alçado a status de referência após um início fulminante. Desde que diminuiu o ritmo da ida às redes, entretanto, o atleta vem sendo cobrado também pela imaturidade. Vendido ao Watford, da Inglaterra, onde se apresentará em janeiro, João Pedro é também visto como alguém que não está preocupado com a situação da equipe.

Carolina Farias/UOL
Imagem: Carolina Farias/UOL

Para amigos próximos, entretanto, o jogador mostra enorme gratidão ao clube. Ele chegou a prometer retornar ao Fluminense assim que deixar a Europa, seja quando for. Apesar de paulista, o atleta mostra identificação com o Tricolor e, ainda na base, publicava fotos e mensagens de apoio ao clube. Sua namorada, curiosamente, também é torcedora ilustre do Flu.

Com os mesmos 29 pontos, o Fluminense segue na 14ª colocação do Brasileirão. No domingo, enfrenta o arquirrival e líder Flamengo no Maracanã, às 18h, precisando voltar a pontuar. Apesar da sequência positiva com Marcão, o Flu está a apenas três pontos da zona de rebaixamento. Mesmo que não tenha chances de voltar a figurar entre os quatro últimos pelos critérios de desempate, a equipe tenta recuperar o bom momento e voltar a subir na tabela.

Esporte