Topo

Egito apresenta grupo de 30 sarcófagos com mais de 3 mil anos

19/10/2019 18h38

Cairo, 19 out (EFE).- O governo do Egito apresentou neste sábado, na cidade de Luxor, no sul do país, um lote de 30 sarcófagos com mais de 3 mil anos, na mais importante descoberta deste tipo neste enclave arqueológicodesde o século XIX.

O ministro das Antiguidades, Khaled El-Anany, destacou que a descoberta desse conjunto de tumbas com caixões e restos humanos é a "maior desde o final do século XIX".

Os sarcófagos encontrados são de madeira, coloridos e estão em boas condições, e no interior foram encontradas múmias de sacerdotes e crianças da dinastia faraônica XVII (1.580-1.550 a.C.).

Segundo o secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, Mustafa Waziri, os caixões foram descobertos na mesma condição em que foram enterrados que foram colocados em dois níveis.

A descoberta faz parte dos resultados das escavações iniciadas no ano passado no túmulo localizado no Vale dos Reis.

As inscrições talhadas nos lados dos sarcófagos representam vários motivos funerários com imagens das oferendas a diferentes deuses diferentes e reis deificados como o rei Amenhotep, o primeiro Deus da necrópole de Deir el Bahari.

Também mostram cenas do Livro dos Mortos e diferentes detalhes artísticos usados em sepulturas e monumentos funerários.

Nos últimos anos, o Egito fez uma série de anúncios de descobertas com o objetivo de incentivar o turismo, setor que foi seriamente afetado pela revolução de 2011 no país árabe, que culminou com a expulsão de Hosni Mubarak do poder. EFE

Entretenimento