Topo

Familiares homenageiam Michael Jackson nos dez anos de sua morte

2019-06-25T23:48:00

25/06/2019 23h48

Los Angeles (EUA), 25 jun (EFE).- Os familiares de Michael Jackson lembraram e homenagearam o "Rei do Pop", cuja morte completa uma década nesta terça-feira, e afirmaram que com seu falecimento, "o mundo perdeu um artista talentoso e um filantropo extraordinário".

"Berry Gordy Jr., o fundador da Motown, elogiou seu protegido (pouco depois do cantor morrer) dizendo: 'O (título) Rei do Pop não é grande o suficientemente para ele. Acho simplesmente que ele é o maior artista que já passou pelo mundo'", lembrou hoje a família Jackson em comunicado de imprensa.

"Uma década depois, Michael Jackson está ainda conosco, e sua influência está integrado na dança, moda, arte e música do momento. É mais importante do que nunca", acrescentaram.

E embora os Jacksons enfatizassem a excelência musical de "MJ", também quiseram elogiar seu trabalho filantrópico e humanitário.

"'Eu acho que cada pessoa pode fazer a diferença na vida de alguém que necessite', disse Michael. E é assim é como honramos Michael", finalizaram.

O genial e excêntrico Michael Jackson morreu no dia 25 de junho de 2009, devido a uma overdose de anestésicos em uma mansão alugada perto de Bel Air, um bairro exclusivo na parte ocidental de Los Angeles (EUA).

Hoje, a mídia local mostrou imagens de dezenas de pessoas que prestaram homenagem ao cantor em sua estrela na Calçada da Fama de Hollywood e no cemitério Forest Lawn Memorial Park, em Glendale, Califórnia, onde foi sepultado.

Artista precoce e brilhante, formou junto aos seus irmãos o grupo de sucesso The Jackson 5. Mas alcançou sozinho o "topo do pop" com álbuns como "Off the Wall" (1979), "Thriller" (1982) e "Bad" (1987).

Seu legado na música é inquestionável, mas sua figura fora dos palcos foi ofuscada pelas acusações de supostos abusos sexuais a menores.

Embora nunca tenha sido condenado por essas acusações, esse caso obscuro voltou à atualidade pela recente estreia do documentário "Deixando Neverland" (2019), no qual duas pessoas asseguram ter sido vítimas de abusos sexuais por parte do cantor quando eram menores. EFE

Mais Entretenimento