Topo

"Juntos e Shallow Now": hit mais comentado de 2019 surgiu de uma provocação em rádio

Divulgação
Paula Fernandes e Luan Santana: "Juntos e Shallow Now" Imagem: Divulgação
do UOL

Leonardo Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

2019-06-03T04:00:00

03/06/2019 04h00

O sucesso de "Juntos e Shallow Now", versão de Paula Fernandes e Luan Santana para o hit de Lady Gaga vencedor do Oscar, está na internet, em campanhas publicitárias, na programação TV Globo, no nome de operação da Polícia Civil no Rio e até na fala de integrante do fenômeno do k-pop BTS --isso porque escolhemos enumerar só quatro campos de influência.

O que a maioria não sabe sobre o maior êxito viral da carreira de Paula Fernandes: a música, que foi criada para penetrar em rádios que só executam artistas brasileiros, nasceu de um desafio feito por Marcelo Siqueira, diretor da rádio paulistana Nativa FM, a Marcelo Maia, diretor-executivo da ACT10N, empresa que administra a carreira da artista.

"Estava visitando rádios em São Paulo, logo depois do Oscar, e o Marcelo comentou que 'Shallow' estava entre as dez mais tocadas nas rádios, mas que não podia tocar porque a Nativa, que é uma rádio popular, só toca música brasileira", conta Marcelo Maia em entrevista ao UOL.

"Eu disse então para ele abrir um precedente, por causa do sucesso, e uma hora ele virou e falou: 'Para de me encher o saco, faz a versão da Paula Fernandes então que eu toco!'. Achei a ideia maravilhosa e já comecei a trabalhar para viabilizar isso."

A sugestão feita por Maia caiu imediatamente nas graças de Paula, que vinha trabalhando no repertório de seu próximo DVD e já tocava a música, na versão em inglês, em ensaios e em casa. Desde o Oscar, "Shallow" não saía de sua cabeça. "Ela topou na hora. No mesmo dia que comentei, ela já me mandou a letra em português", explica o diretor.

A ideia da letra

A exemplo da maioria das versões brasileiras, "Juntos e Shallow Now" não é uma tradução literal. A ideia de Paula era, em tempos de polarização e acirramentos, versar sobre o sentimento de união tendo o amor como pano de fundo.

O resultado rendeu piadas e críticas, especialmente pelo trecho do título, que, traduzido ao pé da letra, diz "Juntos e superficiais agora". A original tem outro sentido. Versa "we're far from the shallow now" (estamos longe do superficial agora). Paula estaria desvirtuando a mensagem original.

"Nós adoramos a música quando ela nos apresentou. Uma sonoridade maravilhosa. Ali já surgiu a dúvida sobre o que seria 'Juntos e Shallow Now'. Mas a defesa foi simples: a versão da Paula se chama 'Juntos' e a original se chama 'Shallow'. 'Juntos e shallow now' significa que a 'Junto' da Paula Fernandes e a 'Shallow' da Lady Gaga estariam unidas."

Robson Senne/Reprodução
Marcelo Maia e Marco Serralheiro, diretor e CEO da ACT10N Imagem: Robson Senne/Reprodução

A aprovação

O próximo passo foi entrar em contato com a editora de Lady Gaga nos Estados Unidos em busca do aval para gravação. Dela e dos outros três compositores de "Shallow": o produtor Mark Ronson e os parceiros Andrew Wyatt e Anthony Rossomando. A ACT10N apresentou um texto de autorização ressaltando o currículo de Paula, cantora, compositora e instrumentista de sucesso no Brasil, que já gravou com os internacionais Shania Twain, Taylor Swift e Alejandro Sanz.

"Também argumentamos que a percepção no Brasil era de que a música estava sendo muito pedida em rádios que só tocam músicas nacionais. Ou seja, cerca de 70% dos ouvintes das rádios brasileiras ficavam privados de escutar o sucesso original por ser em inglês. O pedido foi muito bem recebido."

Vaivém de material

Nos primeiros contatos, a equipe de Paula Fernandes enviou a letra de "Juntos e Shallow Now" em português, mas os americanos pediram uma versão traduzida frase a frase para o inglês. Na sequência, outro pedido do manager de Lady Gaga: os compositores queriam conferir Paula cantando a música para entender o estilo e interpretação. Uma demo voz e violão chegou ao escritório da artista.

"Ela voltou aprovada sem nenhuma alteração, sem nenhuma vírgula mudada na música", revela Maia. "Isso foi feito em poucos dias, e aí só precisamos definir quem faria a parte do Bradley Cooper. Paula pensou direto no Luan, um artista que ela admirava e com quem sempre teve vontade de trabalhar. O Luan aceitou e gravou no mesmo dia. Foi tudo muito rápido", lembra Marcelo Maia.

Reprodução/Facebook
A cantora Paula Fernandes Imagem: Reprodução/Facebook

Repercussão

Lançada no último dia 19, "Juntos e Shallow Now" rendeu mais do que Paula Fernandes e a ACT10N esperavam. Mesmo sem emplacar o top 10 no streaming, a faixa entrou para a programação de mais mil rádios brasileiras e virou um dos assuntos mais comentado na internet brasileira, catapultando novamente a versão original nas paradas brasileiras.

O clipe brasileiro será lançado nas próximas semanas, como prévia de "Origens", novo DVD da cantora, que será gravado no próximo dia 12 em Sete Lagoas (MG), em um show que, além de Luan Santana, também trará participações de Kell Smith e Gustavo Mioto.

"A indústria já considera o lançamento de 'Juntos' o maior sucesso digital desde a mudanças da mídia física para a on-line. É um fenômeno orgânico", afirma Marco Serralheiro, CEO da ACT10N. "Esperamos que ela chegue ao primeiro lugar nas rádios e que ela seja executada por mais de três ou quatro meses, que é a média do mercado."

Mais Entretenimento