Topo

Academia mantém regra do Oscar sobre streaming que beneficia Netflix

 REUTERS/Mario Anzuoni
Yalitza Aparicio, indicada ao Oscar de melhor atriz por "Roma", da Netflix Imagem: REUTERS/Mario Anzuoni
do UOL

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

2019-04-24T08:36:04

24/04/2019 08h36

A Academia que comanda a cerimônia do Oscar se reuniu para discutir mudanças de regras para a premiação de 2020. Mas o que mais chamou a atenção foi o fato de um regulamento não mudar, em uma vitória da Netflix.

Havia um rumor de que haveria uma nova postura quanto à elegibilidade de filmes gerados por serviços de streaming, como a Netflix, mas isso não se concretizou.

"Nós apoiamos a experiência de ir à sala de cinema como uma parte integral da arte do cinema, e isso foi colocado na balança intensamente em nosso debate", afirmou o presidente da academia, John Bailey.

"Nossas regras requerem que haja exibição em salas de cinema. Nós planejamos estudar à frente as profundas mudanças que estão acontecendo em nossa indústria e continuar discutindo esses temas", acrescentou Bailey.

Para concorrer ao Oscar, um filme precisa ser exibido por sete dias, em pelo menos três sessões diárias em Los Angeles, como ocorreu com "Roma", da Netflix, que levou três prêmios este ano. A regra já valia e está mantida, inclusive a possiblidade de este mesmo filme ser lançado em plataformas digitais no mesmo dia da estreia no cinema.

No começo do mês, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos alertou a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de que as mudanças nas regras do Oscar que limitam a elegibilidade da Netflix e outros serviços de streaming poderiam levantar suspeitas de violações da lei de concorrências e antitruste.

De acordo com um documento obtido pela revista "Variety", o chefe da divisão antitruste, Maka Delrahim, escreveu a diretora executiva da Academia para expressar sua preocupação de que as novas regras estariam sendo escritas "de maneira que tende a suprimir a concorrência".

As mudanças

Um conselho de 54 pessoas foi reunido para debater as regras para a próxima cerimônia, e as alterações não foram de grande porte.

Entre os filmes estrangeiros, a categoria teve uma mudança de nome: não se trata mais de "melhor filme estrangeiro", passando a ser "melhor filme internacional". Outra alteração é a queda de uma regra em que era necessário haver oito filmes elegíveis no ano para que a categoria "melhor longa-metragem" pudesse ser disputada.

Em melhor maquiagem e cabelo, foi ampliado o número de concorrentes, de três para cinco. Entre os curta-metragem animados e live actions, agora é possível que eles sejam elegíveis após exibições em Nova York ou Los Angeles.

Mais Entretenimento