Topo

Grêmio: atrito entre futebol e CEO explica ultimato de Renato sobre 2020

Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Imagem: Lucas Uebel/Grêmio FBPA
do UOL

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

19/11/2019 04h00

A declaração de Renato Gaúcho com tom de ultimato expõe um atrito no Grêmio. Departamento de futebol e Carlos Amodeo, CEO do clube, não possuem boa relação e foi esse cenário que motivou a posição do treinador sobre investimentos para o próximo ano. Assim como a ideia de reduzir a folha salarial em 2020, meta revelada pela coluna De Primeira.

Carlos Amodeo está no cargo de gerente geral do Grêmio desde junho de 2017 e na virada da temporada passada para a atual, acumulou função de diretor executivo de futebol. Entre a saída de André Zanotta, hoje no FC Dallas-EUA, e a chegada de Klauss Câmara.

No período, Amodeo participou ativamente das negociações para montagem do elenco atual. Despachando diretamente com Renato Gaúcho ao longo de dezembro e janeiro.

Carlos Amodeo é gerente geral do Grêmio desde junho de 2017 e não tem mais contato direto com Renato - Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Carlos Amodeo é gerente geral do Grêmio desde junho de 2017 e não tem mais contato direto com Renato
Imagem: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

A relação com os outros integrantes do departamento de futebol, contudo, se deteriorou. Com a contratação de Klauss Câmara, executivo ex-Cruzeiro, Amodeo foi afastado do dia a dia do vestiário. Ainda assim, continua com papel decisivo nos rumos do clube.

A linha direta entre Carlos Amodeo e Romildo Bolzan Jr., presidente do Grêmio, permanece intacta mesmo depois da relação estremecida com o departamento de futebol e comissão técnica. O gerente geral é visto como irredutível quando o assunto é orçamento para contratações.

No departamento de futebol estão Duda Kroeff, vice-presidente, Alberto Guerra e Deco Nascimento, diretores. Além do diretor remunerado, Klauss Câmara.

A contratação do executivo de futebol foi um dos primeiros episódios de atrito entre as alas do Grêmio. O departamento de futebol desejava a contratação de Luis Vagner Vivian, atualmente diretor de logísticas da CBF. Amodeo apresentou o nome de Câmara e acabou vencendo a disputa. Klauss chegou como indicação do CEO, mas logo deixou de ter ligação direta com o gerente.

Renato não mantém mais diálogo com Amodeo e conversa diretamente com Bolzan sobre renovação contratual. Se tornou praxe que, após acerto inicial, os dois lados acionem prepostos para negociar valores e bônus. O Grêmio sempre foi representado por Amodeo e o treinador por Gerson Oldenburg, empresário. No diálogo entre treinador e presidente, a renovação é tratada como natural.

O Grêmio quer renovar o elenco e ouviu de Renato o pedido por reforços que aumentem a qualidade do time. Falta acertar o encaixe financeiro para viabilizar o plano do técnico.

O futuro de Carlos Amodeo pode virar pauta no Conselho de Administração, órgão deliberativo da alta cúpula gremista, nos próximos dias. A renovação de Renato, mesmo com o ultimato, é vista como muito provável.

Esporte