PUBLICIDADE
Topo

Carla Vilhena: 'Insistência da CNN em desinformação é irresponsável'

A jornalista Carla Vilhena participou do podcast UOL Vê TV - Reprodução/ Instagram
A jornalista Carla Vilhena participou do podcast UOL Vê TV Imagem: Reprodução/ Instagram
do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

02/08/2020 04h00Atualizada em 02/08/2020 19h02

A morte do jornalista Rodrigo Rodrigues na última terça-feira (28), depois de passar alguns dias internado no Rio de Janeiro devido a complicações da covid-19, foi um dos assuntos mais comentados na última semana. Rodrigues tinha 45 anos e era um dos principais apresentadores do SporTV e eventual substituto de Felipe Andreoli no "Globo Esporte", da TV Globo.

No podcast UOL VÊ TV #37, Chico Barney, Débora Miranda, Mauricio Stycer e a jornalista Carla Vilhena, que faz uma participação especial nesta edição, comentam o falecimento do jornalista e criticam a postura de certos veículos da imprensa ao lidar com as consequências da pandemia de coronavírus no Brasil (disponível no vídeo acima a partir de 53:02).

"Infelizmente é mais uma vítima dessa doença que já levou tantos brasileiros", aponta Carla.

"Isso me lembrou de outro destaque negativo que foi a insistência da CNN em permanecer com a desinformação em relação a isso", continua a jornalista. "Como se a gente estivesse permanecendo naquele eterno dia da marmota, um filme de terror, e ver que pessoas estão agindo com absoluta irresponsabilidade em relação a isso."

Barney lembra que Rodrigues "era um grande profissional, desde a época do 'Vitrine', na TV Cultura". "Ele fez muita coisa legal, tinha uma banda, e participou recentemente do 'Domingão do Faustão'. É uma justa homenagem."

A CNN enviou a seguinte nota ao UOL sobre os comentários de Carla Vilhena e de Mauricio Stycer sobre o canal: "A CNN Brasil repudia o texto publicado pelo portal UOL e as declarações caluniosas da jornalista, que contaram com o apoio dos colunistas autores do podcast. Desde o início da pandemia, nossos profissionais já levaram ao ar centenas de horas de jornalismo com prestação de serviços e utilidade pública para ajudar os brasileiros no combate ao coronavírus. Nesse período, médicos e cientistas de diversas vertentes opinaram sobre o vírus, os sintomas, os cuidados, os estudos em andamento e as possibilidades de tratamento. É como se a CNN levasse ao ar uma reportagem acusando o UOL ou qualquer veículo de comunicação de ser responsável por vítimas da Covid-19 por publicar notícias ou fazer entrevistas com os que acreditam nos efeitos de um medicamento ou de uma vacina."


Esclarecimento: Tanto o comentário de Carla Vilhena quanto o de Mauricio Stycer dizem respeito ao fato de a CNN ainda abrir espaço para entrevistados que defendem medicamentos e tratamentos sem comprovação científica para a covid-19.

Você pode ouvir o programa UOL Vê TV no Spotify, no Apple Podcasts ou em outros aplicativos de podcasts. No Youtube, a gravação do programa também é transmitida em vídeo.

Entretenimento