PUBLICIDADE
Topo

Campeã do BBB, Vanessa abre mansão onde vive com 15 cães, 7 gatos e 1 porco

Vanessa Mesquita com o xodó da casa: o porco João, que vive com ela desde filhote  - Keiny Andrade/UOL
Vanessa Mesquita com o xodó da casa: o porco João, que vive com ela desde filhote Imagem: Keiny Andrade/UOL
do UOL

Felipe Pinheiro

Do UOL, em São Paulo

26/01/2020 04h00

"É onde me sinto segura e [fico] com a minha família." Essa é a definição de casa para a ativista Vanessa Mesquita, campeã do BBB 14. Ela vive com a família, incluindo a mãe, o padrasto e as duas tias, em uma confortável residência de quatro andares em Pirituba (zona norte), em São Paulo. A propriedade é a consagração de um sonho que Vanessa conseguiu realizar com o cachê que ganhou ao posar para a revista Playboy, em 2014, meses após faturar o prêmio de R$ 1,5 milhão do Big Brother Brasil. A bolada do reality, ela conta que aplicou em investimentos bancários.

Vanessa e a família receberam a reportagem do UOL na residência de 450 metros quadrados, onde também moram os bichos criados pela ex-sister —conhecida por seu envolvimento com as causas animais. Ao todo são 15 cachorros (Ozzy, Fofoca, Docinho, Sol, Bruno, Lalinha, Candy, Rex, Titi, Fred, Mel, Amendoim, Frederico, Sofia e Dacota), sete gatos (Morgan, Kat, Mingau, Miojo, Jesus, Maria e Amy Winehouse) e o porco João, sem contar os cachorros que ficam hospedados temporariamente até serem adotados.

Com a fama conquistada no reality da Globo, Vanessa afirma que se viu quase que obrigada a buscar um novo lugar para morar. "Eu gostava da minha outra casa, que agora está alugada. Mas todo o mundo já sabia onde eu morava, não tinha mais paz, não tinha mais segurança. Minha mãe sempre sonhou em ter uma casa nesse bairro, e eu falava que iria dar para ela. Ela até ria da minha cara. Visitei essa casa, minha mãe adorou o teto de vidro e decidimos ficar com ela", conta.

Outro requisito que a casa precisava ter era uma área externa ampla para os animais. O porco João, por exemplo, tem um chiqueiro feito especialmente para ele.

Em relação ao upgrade financeiro, Vanessa considera que o BBB mudou a sua vida em todas as áreas, inclusive sentimental. Foi pela televisão que o namorado, o chef Martin Scholl, a conheceu. O relacionamento começou depois que ele enviou uma mensagem privada para ela no Instagram.

"Sou eternamente grata ao Big Brother, e não só por eu ter levado o prêmio. [Depois do programa] sou outra pessoa. Fiquei mais tolerante, escuto a opinião alheia. Antes, eu era turrona, chucra. Era uma pessoa bicho do mato."

Eu era aquele cachorro que estava para ser resgatado. Tinha muito medo das pessoas. Não tinha amigos. O Big Brother mudou tudo. Fui adestrada. Vi que outras pessoas tinham os mesmos sentimentos que eu. Vi que eu podia ser querida pelo que eu sou, até com meus defeitos. Para mim, é um privilégio ter pessoas que gostam de mim e que se aproximaram porque se identificaram comigo. Isso me faz querer ser melhor.

Muito ligada à família, Vanessa levou todos os parentes com quem cresceu para o novo lar, que ainda está em reforma para ficar do jeitinho que ela sonhou. O "palácio" dos Mesquita tem sete quartos, sala de TV, escritório e um quintal nos fundos com piscina. A campeã do BBB ainda pretende montar uma academia anexa à sua suíte e um jardim logo na entrada da residência, abaixo de um imponente lustre.

Vanessa Mesquita com o namorado, o coznheiro Martin Scholl; os dois se conheceram pelas redes sociais - Keiny Andrade/UOL
Vanessa Mesquita com o namorado, o coznheiro Martin Scholl; os dois se conheceram pelas redes sociais
Imagem: Keiny Andrade/UOL

"Eu poderia estar morando sozinha em um apartamento, com um cachorro e um gato, mas não me vejo assim. A vida inteira foi com eles. Não seria justo largá-los. É a família com a qual eu cresci e nunca me imaginei longe dela", declara a ex-sister, que tem como hábito passar horas conversando com a mãe na cozinha, além de realizar um ritual aos sábados: reunir-se com os familiares à mesa para comer pizza. "Sou bem caseira. Toda semana o Martin tem que fazer caponata de berinjela, lasanha de berinjela. Eu sou a louca da berinjela!", diverte-se.

Depressão pós Big Brother

Vanessa Mesquita vive pela família e pelos animais. Diz que essa é a sua missão. O carinho pelos filhotes peludos ganhou um cantinho especial na casa: um altar com as fotos e as caixas com as cinzas dos bichinhos que deixam saudade. Vanessa sempre teve uma forte ligação com os animais e fazia planos de estudar veterinária, mas não tinha condições financeiras antes de 2014. Depois do BBB, ela entrou na faculdade e já está no último ano. Mas nem tudo foi fácil para ela após o programa.

Vanessa diz que ajudar os animais é a sua missão; ela está no último ano da faculdade de veterinária - Keiny Andrade/UOL
Vanessa diz que ajudar os animais é a sua missão; ela está no último ano da faculdade de veterinária
Imagem: Keiny Andrade/UOL
A ativista se viu no meio de um furacão, provocado por uma das torcidas mais engajadas e barulhentas da história do programa: a "clanessa", como ficaram conhecidos os fãs do casal formado por ela e Clara, com quem se relacionou no programa.

"Fiquei deprê depois do BBB. Eu não sabia lidar com o assédio das pessoas que gostavam e não gostavam de mim. Eu tinha acabado de sair da casa e via brigas de torcida. Eram 20 participantes, então, era a minha torcida brigando com outras 19. Me xingavam. E eu era uma menina! Apesar de sempre ter sido muito forte, eu não procurava fama. Nunca fui deslumbrada por esse mundo", explica.

"Aquilo mexeu com a minha cabeça. Eu só queria ter a minha vida de antigamente, que era acordar cedo, ir para a academia, cuidar dos meus bichos e estudar. Quando me deparei com pessoas acampadas na porta da minha casa gritando meu nome, eu não sabia lidar. Fiquei perdida", lembra.

Com o tempo, Vanessa aprendeu a conviver com o assédio e a perder a vergonha das câmeras. Tudo pelos animais, ela ressalta. Hoje, Vanessa ajuda uma ONG e mantém parceria com uma clínica veterinária. Sobre seu romance com Clara, ela afirma sentir orgulho do que viveu —apesar dos julgamentos.

"Quando eu tiver 70 anos, vou falar para o meu neto: 'A vovó foi a primeira garota que deu um beijo em outra garota na maior rede de TV do Brasil. E eles foram obrigados a mostrar o nosso beijo, a nossa amizade e que estávamos apaixonadas'. Não tinha motivo para esconder uma coisa tão pura e bonita como aquela. A única pessoa que eu me preocupava em ver as cenas era minha mãe. Se ela não ligava, eu estava cagando e andando para a opinião alheia."

Entretenimento