PUBLICIDADE
Topo
Entretenimento

Entretenimento

Thaynara OG revela que foi para UTI após lipo malsucedida

Thaynara OG se emocionou ao contar próprio relato de lipo malsucedida, inspirada por história de Liliane Amorim - Reprodução/Instagram/@thaynaraog
Thaynara OG se emocionou ao contar próprio relato de lipo malsucedida, inspirada por história de Liliane Amorim Imagem: Reprodução/Instagram/@thaynaraog
do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/01/2021 06h29Atualizada em 25/01/2021 08h30

Após se sensibilizar com a morte da influenciadora Liliane Amorim, vítima de complicações de uma lipoaspiração, Thaynara OG decidiu contar sua experiência própria com o assunto, quase 1 ano depois de ter ido para a UTI por uma plástica malsucedida.

A apresentadora e atriz de 28 anos, que ganhou fama no Snapchat em 2015, afirmou que se sentiu "envergonhada" por ter enfrentado os riscos da cirurgia mesmo já se encaixando nos padrões de beleza, e detalhou o desespero pela falta de acompanhamento do médico durante um sangramento excessivo no pós-operatório, em março de 2020.

"Eu sei que apesar de atender a muitos padrões de beleza também sinto uma pressão estética muito grande sobre mim, então tenho dificuldade de aceitar algumas coisas, tenho minhas inseguranças, minhas insatisfações com o corpo, e ano passado eu decidi fazer uma lipoaspiração; E o que acontece: a gente sabe que um procedimento como esse é extremamente invasivo, então a gente tem que procurar um profissional que a gente conheça o trabalho, que passe confiança, só que eu não fui por esse caminho", lamentou Thaynara.

A influenciadora contou que optou por fazer uma "técnica famosa" de lipoaspiração com um cirurgião indicado por uma conhecida que tinha feito o procedimento, já que seu médico de costume não aprovava o método utilizado pelo colega.

Thaynara detalhou que recusou fazer permuta, pagando a plástica do próprio bolso, por não querer influenciar outras meninas a seguirem seus passos e também para poder desfrutar 100% dos direitos como cliente.

Mas logo após a cirurgia, a maranhense já observou que o pagamento não havia garantido um acompanhamento de qualidade, denunciando a omissão do médico, que não teve o nome mencionado.

"Em março do ano passado fiz a cirurgia, subi para o quarto, quem passou lá pra conversar comigo foi a anestesista da equipe, não foi o cirurgião. No dia seguinte ele apareceu e ele viu que no dreno estava saindo muito sangue, vermelho vivo. E aí ele falou assim: 'Olha, eu não vou te dar alta hoje. Mas eu tô feliz porque eu tô te vendo corada e bem'. Sendo que eu não tava bem. Quando ele falou isso, todo mundo ficou se olhando assim, as enfermeiras, meus pais, minha irmã. todo mundo ficou sem entender nada", relembrou.

Segundo Thaynara, tudo mudou quando sua mãe, vendo a filha "muito amarela" pela perda excessiva de sangue, decidiu tomar uma iniciativa, chamando um profissional do próprio hospital para olhar a influenciadora.

"Lá eles viram: gente, ela tem que ir pra UTI agora. Então, aí já bateu aquele medo. Gente, porque eu tenho que ir pra UTI? Fiz lá todos os exames pra saber o porque daquele sangramento interno, de onde estava vindo aquele sangue, corri pra fazer transfusão de sangue, recebi duas bolsas, e aí tudo isso muito rápido, muito urgente. Esses dias na UTI, gente, eu me sentia muito mal. Eram dias em que eu não saía da cama, nem pra fazer xixi, nem pra fazer as necessidades, eu não conseguia dormir de tanta dor", detalhou.

Emocionada, ela ainda falou sobre a "culpa" por ter colocado sua família "naquela situação", contando que seu pai chegou a parar na emergência do hospital por conta da situação da filha.

A influenciadora também afirmou que o que mais a magoou não foram as complicações, e sim a dificuldade para falar com o cirurgião mesmo durante os momentos mais difíceis na UTI, criticando o profissional por nem atender suas ligações.

Thaynara disse ter passado "7 ou 8 dias" internada, a maior parte deles na Unidade de Terapia Intensiva. Mesmo fora do hospital, ela continuou passando por drenagem para retirar o acúmulo na região da lipo. Enquanto uma recuperação normal exige 10 sessões, ela passou por cerca de 50.

"Eu poderia ter partido por uma besteira, então isso mexeu muito com a minha cabeça, foram meses, assim, horríveis, porque a recuperação que já era difícil foi mais lenta que o normal, já que a minha barriga ficou bem pontuda pra esquerda. Minha recuperação coincidiu com o isolamento social então isso piorou minha cabeça, tive minha primeira crise de ansiedade por conta disso, e eu só fui melhorar de verdade em agosto", relatou.

Na conclusão da mensagem, a maranhense ponderou que, hoje, faria o procedimento com o médico que já conhecia, sem priorizar uma técnica que escolheu apenas por conta de fotos no Instagram. Ela ainda estimulou suas seguidoras a tomarem cuidado com a decisão de fazer intervenções estéticas.

"Se viu ali uma necessidade de eu fazer um reparo, depois de um ano, e eu não tenho essa coragem, pelo menos com essa equipe não tenho mais. Os riscos são de fato muito altos. Então depois dessa experiência se eu puder aconselhar algo é: antes de decidir qualquer coisa, pesquise bem, não se deixe levar por publicidade, por preço barato, você tem que tirar todas as suas dúvidas até de fato tomar uma decisão", concluiu ela, pedindo também "transparência" dos influenciadores que aceitam fazer permuta.

Entretenimento