Topo

Modelo que diz ser sobrinho-neto de Malafaia relembra "terror psicológico"

Rodrigo Westermann relembrou que família Malafaia o obrigou a ter consulta com um terapeuta evangélico na adolescência - Reprodução/Instagram, Mauro Pimentel/AFP - Montagem UOL
Rodrigo Westermann relembrou que família Malafaia o obrigou a ter consulta com um terapeuta evangélico na adolescência Imagem: Reprodução/Instagram, Mauro Pimentel/AFP - Montagem UOL
do UOL

Do UOL, em São Paulo

20/10/2019 12h31

O modelo Rodrigo Westermann Malafaia, que diz ser sobrinho-neto do pastor Silas Malafaia, relembrou momentos difíceis de sua adolescência, período em que se descobriu gay e não teve o apoio de sua família.

Com casamento marcado com Leandro Buenno, ex-participante do The Voice Brasil, Westermann revelou que precisou esconder sua orientação sexual dos pais e que fingia ser heterossexual.

"Frequentei igreja a vida inteira. Quando descobriram que sou gay, foi um terror psicológico. Me levaram a um terapeuta evangélico. Prometi que iria mudar. Não havia saída, eu tinha só 15 anos. Não tinha autonomia. Precisava obedecer ou ficaria de castigo. Arrumava até namorada de mentira. Só assumi realmente aos 20 porque não aguentava mais. Falei 'ou vocês têm um filho gay, ou não têm mais um filho'. Aceitaram, mas com algumas ressalvas", disse ele ao jornal Extra.

As diferenças, segundo o familiar do pastor, fizeram com que a vida dele tomasse outro rumo.

"A minha verdade vai contra o evangelho. Então, é bem complicado eu manter uma amizade com eles porque não aceitam nada que eu faço. Independentemente de caráter, para eles, eu e Leandro somos muito errados em tudo. Vivo minha vida, tenho meus sonhos e pago minhas contas. Não preciso provar nada para ninguém, mas parece que eu sempre tenho um saldo negativo por causa da religião".

Vale lembrar que o pastor Silas Malafaia nega o parentesco com Rodrigo. Segundo ele, o modelo é um "oportunista que usa o nome".

Entretenimento