PUBLICIDADE
Topo
Listas

Listas

De maconha a pênis de baleia: 7 materiais já usados para fabricar carros

Ao longo do tempo, carros já contaram com materiais inovadores, ecológicos e até mesmo bizarros em sua construção - Divulgação
Ao longo do tempo, carros já contaram com materiais inovadores, ecológicos e até mesmo bizarros em sua construção Imagem: Divulgação
do UOL

Rodrigo Lara

Do UOL, em São Paulo

15/04/2021 04h00

Do que é feito um carro? A resposta para essa pergunta, na maioria dos casos, cita materiais como aço, plástico, borracha, tecidos, vidro e, em alguns casos, couro.

Esses compostos, de fato, são comuns na construção de veículos, mas a indústria automotiva já deu passos mais ousados nesse sentido. Inclusive, usando materiais incomuns, exóticos e, por que não, bizarros.

Veja abaixo alguns exemplos do tipo.

  • Reprodução

    Fibra de vidro

    O que uma prancha de surfe, uma piscina e um Chevrolet Corvette têm em comum? A resposta é: fibra de vidro. O esportivo usou o material ao longo de várias gerações - inicialmente puro e, depois, como ingrediente para um compósito - como uma maneira de diminuir peso e, também, os custos de produção. Isso até a marca passar a utilizar materiais mais nobres, como a fibra de carbono.

    No Brasil, esportivos como o Puma e bugues faziam uso extenso de fibra de vidro, em especial na carroceria. Apesar de ser um material leve e barato, usar essa solução de forma pura e em larga escala acaba sendo algo complicado, uma vez que sua produção é praticamente artesanal.

  • RM Sothebys/Divulgação

    Ouro

    Geralmente associado a joias e outros artigos luxuosos, é difícil imaginar que existam componentes fabricados com ouro em um carro convencional. O material, porém, é utilizado em conexões eletrônicas por meio de um processo chamado galvanoplastia e tem como característica uma excelente resistência à corrosão e boa condutividade.

    Há, porém, um caso no qual o metal foi usado de forma mais extensa - e não como item de acabamento. Foi no revestimento do compartimento do motor do icônico superesportivo McLaren F1.

    Na década de 1990, o ouro era o material disponível que tinha o melhor compromisso entre baixo peso e capacidade de dissipar calor. E, convenhamos: economia de recursos não era bem uma preocupação na hora de criar esse carro.

  • Divulgação

    Madeira

    Ok, você deve estar pensando que usar madeira na construção de um carro não é algo tão incomum assim, já que há vários modelos luxuosos que empregam o material em itens de acabamento.

    Você tem razão, claro, mas aqui falamos do uso de madeira em outra parte do veículo: a sua estrutura. É esse o material que a Morgan utiliza em seus carros, inclusive no "novo com cara de velho" Plus Four, para a construção da estrutura da carroceria, em parceria com um chassi de alumínio.

  • Divulgação

    Porcelana

    É um carro ou um vaso chinês? Essa dúvida certamente não passou pela cabeça de quem decidiu deixar um já exclusivo Bugatti Veyron ainda mais único.

    Em parceria com uma fabricante de porcelana, a Bugatti criou o Veyron L'Or Blanc, que teve apenas uma unidade e tinha como grande diferencial o revestimento da carroceria com o material altamente reflexivo - o que cria um efeito visual no mínimo incomum.

    A porcelana ainda era utilizada para algumas partes do acabamento do interior, como detalhes nos painéis das portas.

  • Divulgação

    Soja e maconha

    A soja é um grão mais associado às indústrias alimentícia e pecuária, enquanto a maconha é famosa pelas suas propriedades medicinais e entorpecentes. Ambos os materiais, no entanto, já foram usados na construção automotiva.

    Enquanto a soja entrava como ingrediente na produção de plásticos que revestiam modelos como o Pontiac Deluxe Six, uma combinação dela com a maconha era usada em um protótipo criado pela Ford em 1941. O carro, porém, não chegou a ser lançado, já que a Segunda Guerra Mundial provocou uma mudança considerável nos planos da fabricante.

    Já a maconha era um material bastante presente no protótipo Eco Elise, apresentado pela Lotus em 2008. As fibras da planta entravam como componente do material de revestimento do painel do modelo.

  • Divulgação

    Fibras naturais e material reciclado

    Plástico PET reciclado, fibra de sisal e palha de trigo são materiais que parecem não ter nada a ver entre si, mas, juntos, acabam originando produtos que podem ser utilizados pela indústria automotiva.

    Um exemplo são os carpetes, forros e revestimento de caixas de rodas de modelos da Ford. Outros materiais reciclados também dão origem a plásticos que podem ser usados como revestimentos em painéis e consoles no interior dos veículos.

  • Divulgação

    Couro de pênis de baleia

    Esse provavelmente representa o auge dos materiais excêntricos já usados na construção de um carro - e capaz de fazer qualquer pessoa que se preocupe com a natureza ficar de cabelo em pé.

    A (infeliz) ideia veio de uma marca russa chamada Dartz, que ganhou certa notoriedade ao fazer veículos, digamos, excêntricos.

    E o bizarro material seria usado como opção de revestimento para o Pombron Monaco Red Diamond Edition SUV - um não menos, digamos, pouco convencional veículo blindado lançado no começo da década passada. Felizmente a ideia não foi para frente e, na versão final, o opcional ficou de fora.

Listas