PUBLICIDADE
Topo

10 fatos para transformar a curiosidade sobre a igreja da maconha em fumaça

do BOL

10/05/2017 10h00

Inaugurada em 20 de abril deste ano nos EUA, a igreja internacional da maconha não tem um livro sagrado, hierarquias eclesiásticas ou um deus. Por isso, considera que os cultos podem servir como complemento para outra fé que os membros já possuam. No entanto, um dos criadores da igreja, Steve Berke, alega que a ideia surgiu devido à insatisfação de muitas pessoas a respeito da forma como outras crenças são organizadas.

Cultuando o "sacramento da maconha", os membros se reúnem para fazer uso da erva e para trocar experiências, buscando, por meio dos rituais, elevar suas mentes a fim de alcançar uma versão melhor de cada um, sem julgamentos dos demais. 

Eles consideram a flor da cannabis como um “presente da Força Criadora Universal” e defendem uma "regra de ouro" a ser seguida: amar o próximo. Todos podem frequentar o templo, mas só os membros oficiais, que contribuem financeiramente e possibilitam as melhorias da igreja, participam dos cultos.

Veja a seguir 10 curiosidades sobre o local.

  • Reprodução/Ufunk

    Onde fica?

    Em Denver, Colorado, nos EUA. O prédio em questão é uma construção do início do século 20, que abrigava uma antiga igreja luterana. A cidade onde o templo está localizado é a maior do estado, o primeiro a legalizar o uso recreativo da maconha

  • Reprodução/Instagram/@lindse_y

    Quem frequenta?

    A igreja afirma ser uma congregação de mente aberta disposta a receber todas as pessoas. De professores a executivos, passando por várias outras profissões e sem qualquer tipo de discriminação cultural, as pessoas estão ali para usar o sacramento da maconha para elevar suas vidas

  • Reprodução/Ufunk

    Qual o horário das celebrações?

    As cerimônias diárias acontecem às 16h20, hora mundial da maconha, também representada por 420. O número ainda simboliza a data oficial, 20/4, que em inglês seria 4/20. A ideia foi criada em 1971 por um grupo de estudantes que usava o número como um código para marcar encontros e fumar nesse horário

  • Reprodução/YouTube

    O prédio é acessível?

    Atualmente, a igreja busca doações para renovar seu sistema de calefação e outras pequenas reformas, além de instalar elevadores, facilitando dessa forma o acesso aos frequentadores que fazem uso medicinal da erva por motivos de saúde e que apresentam dificuldade de locomoção

  • Reprodução/Ufunk

    A igreja promove atividades para a comunidade?

    Sim, eles disponibilizam uma série de eventos, que incluem exibição de filmes e documentários e palestras com convidados. Muitos dos eventos são transmitidos via Facebook e Instagram

  • Reprodução/Indiegogo

    O que mais é possível encontrar na igreja da maconha?

    Os frequentadores podem usufruir de um jardim externo. Na parte interna, há uma sala comunal que é também uma galeria de arte, que conta com a contribuição de diversos artistas. Além disso, há uma espaçosa cozinha a ser dividida por todos

  • Reprodução/Ufunk

    Como os fiéis são chamados?

    Com a ideia de "amar, criar e elevar", aqueles que cultuam a cannabis, planta por meio da qual se produz a maconha, se autodenominam "elevacionistas"

  • Reprodução/Ufunk

    A igreja é um comércio de drogas?

    Aqueles que pensam que podem ir até a igreja comprar maconha estão enganados. A erva sagrada não é comercializada no templo, assim como os acessórios para utilizá-la também não são

  • Reprodução/Ufunk

    Quem é o responsável pela pintura da capela?

    O artista plástico espanhol Okuda San Miguel foi escolhido para revestir toda a parte interna da igreja com sua obra de arte. Conhecido por seu estilo psicodélico, cheio de formas e cores, ele foi muito bem recebido pelos frequentadores do local. A ideia de ter uma igreja tão viva em termos de arte é a de que um lugar para meditar e refletir não precisa ser sombrio

  • Reprodução/Ufunk

    A igreja da maconha foi um trabalho novo para Okuda?

    Não necessariamente. Essa já é a terceira igreja que recebe as interferências do artista. Ele já pintou um mural enorme em um templo transformado em pista de skate e decorou uma igreja no Marrocos, que trata da liberdade. Além disso, muitos de seus trabalhos são expostos em galerias e até na rua

Listas