Topo

Cientista chinês se declara culpado de roubo de tecnologia nos EUA

O cientista chinês Hongjin Tan - Reprodução
O cientista chinês Hongjin Tan Imagem: Reprodução

Washington (EUA)

12/11/2019 22h34

Um cientista chinês se declarou culpado nesta quarta-feira (13) de roubar tecnologia de baterias de última geração de uma empresa americana de petróleo onde trabalhava, informou o Departamento de Justiça.

Hongjin Tan, um cidadão chinês de 35 anos que era residente legal permanente nos Estados Unidos, foi preso em dezembro de 2018 e acusado de roubar segredos comerciais.

O Departamento de Justiça disse que Tan se declarou culpado no Tribunal Distrital dos Estados Unidos no Distrito Norte de Oklahoma pelo roubo de um segredo comercial, pela transmissão não autorizada de um segredo comercial e pela posse não autorizada de um segredo comercial.

O valor de mercado da tecnologia de bateria que Tan foi acusado de roubar é superior a US$ 1 bilhão.

"A declaração de culpa de Tan dá uma imagem mais ampla do roubo de propriedade intelectual da China pela China", informou o vice-procurador-geral de Segurança Nacional John Demers.

O promotor americano Trent Shores disse que espiões "industriais" como Hongjin Tan participam de espionagem para roubar segredos comerciais americanos e propriedade intelectual.

"A agressão econômica da China representa uma ameaça para as indústrias emergentes de alta tecnologia dos Estados Unidos", afirmou Shores.

Tan trabalhou como cientista associado da empresa de petróleo de junho de 2017 até sua prisão, segundo o Departamento de Justiça, que não revelou o nome da empresa. No entanto, no perfil de Hongjin Tan no LinkedIn indica que ele trabalhou como cientista da equipe de tecnologias disruptivas da Phillips 66.

Notícias