Topo

Trump diz que captura de petroleiro mostra que ele "tinha razão" sobre o Irã

19/07/2019 18h40

Washington, 19 jul (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira que a captura por parte do Irã de um petroleiro do Reino Unido comprova que ele "tinha razão" em suas críticas aos iranianos, e confirmou que autorizou o senador republicano Rand Paul a fazer contatos para iniciar uma negociação entre Washington e Teerã.

"Tudo isso mostra o que estou dizendo sobre o Irã. Eles causam problemas, só dão problemas. (O nuclear) Foi um acordo ridículo, isso mostra que eu tinha razão sobre o Irã", afirmou Trump em declarações aos jornalistas ao deixar a Casa Branca rumo a Bedminster (Nova Jersey), onde passará o fim de semana.

Trump reagiu dessa forma à notícia de que a Guarda Revolucionária do Irã tinha capturado um petroleiro britânico porque, segundo Teerã, o mesmo teria violado a lei marítima internacional quando passava pelo Estreito de Ormuz.

A captura do navio Stena Impero acontece duas semanas depois que o Reino Unido deteve em Gibraltar o petroleiro iraniano Grace 1, que segue bloqueado no território ultramarino britânico.

Trump disse que planejava conversar com as autoridades do Reino Unido sobre o tema, pouco depois de afirmar que tinha falado ontem por telefone com seu amigo Boris Johnson, que espera se tornar em breve o próximo primeiro-ministro britânico.

"Falaremos com o Reino Unido, trabalharemos com o Reino Unido", afirmou Trump.

"O Irã atualmente está com grandes problemas. Sua economia está ruindo. É muito fácil resolver, mas se eles não quiserem, será muito fácil para nós piorar ainda mais a situação", acrescentou o presidente americano.

Trump já havia advertido anteriormente o Irã para que não fizesse nada "imprudente" contra os EUA e ameaçou o regime dos aiatolás: "pagarão um preço muito alto", disse.

Durante um ato no Salão Oval, Trump insistiu que a marinha americana "abateu" ontem um drone iraniano no Estreito de Ormuz, mas Teerã nega essa informação.

Garrett Marquis, o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, reagiu à notícia sobre o petroleiro britânico apontando que é "a segunda vez em pouco mais de uma semana que o Reino Unido é alvo da escalada de violência por parte do regime iraniano".

"Os Estados Unidos seguirão trabalhando com seus aliados e parceiros para defender sua segurança e seus interesses contra o comportamento maligno do Irã", frisou Marquis em comunicado. EFE

Mais Notícias