PUBLICIDADE
Topo
Listas

Listas

Panteão da Pátria: os 43 heróis e heroínas do Brasil

Colaboração para o BOL

04/07/2018 08h00

No Panteão da Pátria Tancredo Neves, localizado na Praça dos Três Poderes, em Brasília, um livro com páginas de aço lista os heróis oficialmente reconhecidos do Brasil.

O "Livro dos Heróis e das Heroínas da Pátria", como é chamado, reúne nomes que entraram para a história nacional e, para fazer parte da coletânea, é preciso que o Senado e a Câmara dos Deputados aprovem um projeto de lei com o pedido de inclusão.

Na lista de espera, há candidatos como o piloto Ayrton Senna, o político Enéas Carneiro, o diplomata Sérgio Vieira de Mello e os médicos Vital Brasil e Osvaldo Cruz. Os critérios para que uma pessoa seja considerada herói ou heroína são subjetivos e podem variar com a época. Por isso, alguns heróis oficiais talvez ficassem de fora se a lista seguisse parâmetros atuais. Atualmente, o livro de aço registra os seguintes nomes, em ordem de inclusão.


Leia também:

  • Reprodução/SDI Brasil

    Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes

    O nome que estreou o livro, em 21/4/1992, foi o de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. O dentista, militar e ativista político liderou o movimento da Inconfidência Mineira, conspiração separatista que ia contra os abusos cometidos pela Coroa Portuguesa contra os colonos

  • Reprodução/Kalentri

    Zumbi dos Palmares

    Líder quilombola, é uma das mais importantes figuras de resistência contra a escravidão e foi incluído no livro em 21/3/1997. Zumbi fazia parte do Quilombo dos Palmares, refúgio para escravos fugidos que almejavam sua liberdade

  • Reprodução/História UPF

    Marechal Manuel Deodoro da Fonseca

    O primeiro presidente do Brasil, Marechal Deodoro da Fonseca, é também uma das figuras presentes no livro instalado no Panteão da Pátria, desde 15/11/1997. Marechal Deodoro foi uma das importantes figuras para a Proclamação da República no Brasil

  • Reprodução/Cícero Moraes/BBC

    Dom Pedro 1º

    Imperador do Brasil, Dom Pedro ficou do lado dos brasileiros durante o levante contra a colonização portuguesa, declarando a Independência do Brasil em 7 de setembro de 1822. Ele foi incluído no livro dos heróis em 05/7/1999

  • Reprodução/History

    Marechal Luís Alves de Lima e Silva, duque de Caxias

    Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias, era também conhecido pelo apelido O Pacificador. Um de seus feitos foi lutar pela independência brasileira contra Portugal em conflitos ocorridos após a declaração de independência. Ele também foi comandante na Guerra do Paraguai e está no livro dos heróis desde 28/01/2003

  • Reprodução/Organics News Brasil

    Francisco Alves Mendes Filho (Chico Mendes)

    Seringueiro de Xapuri, no Acre, Chico Mendes lutou durante sua vida contra o desmatamento da Amazônia. Por seu trabalho, recebeu ameaças de morte durante toda sua trajetória até ser morto a tiros em sua própria casa. O legado de Chico Mendes permanece até hoje como inspiração de respeito e preocupação com o meio ambiente, constando no livro dos heróis desde 22/07/2004

  • Reprodução/Alma Acreana - Blogger

    Coronel José Plácido de Castro

    O Coronel José Plácido de Castro, inscrito no livro dos heróis em 17/11/2004, foi um dos líderes da Revolução Acreana, em 1903, que expulsou os bolivianos do local e proclamou o Estado Independente do Acre. No mesmo ano, com o Tratado de Petrópolis, o estado se integrou ao Brasil

  • Wikipédia

    Almirante Joaquim Marques Lisboa, marquês de Tamandaré

    Desde 13/12/2004 no livro, o Almirante Joaquim Marques Lisboa, mais conhecido como o marquês de Tamandaré, participou da Guerra do Prata e da Guerra do Paraguai, um dos maiores confrontos da história nacional. Além de herói nacional, o marquês de Tamandaré é também o patrono da Marinha de Guerra do Brasil. No seu aniversário, em 13 de dezembro, é comemorado o Dia do Marinheiro

  • Wikipédia

    Almirante Francisco Manuel Barroso da Silva, barão do Amazonas

    O barão de Amazonas, conhecido também como o Almirante Barroso, foi um dos responsáveis pela vitória do Brasil na Batalha do Riachuelo, um dos confrontos mais importantes da Guerra do Paraguai. Ele foi incluído no livro em 11/6/2005

  • Reprodução/Museu do Amanhã

    Alberto Santos Dumont

    O pai da aviação Santos Dumont está entre um dos homenageados do livro, desde 26/7/2006. O mineiro nascido em 20 de julho de 1873 foi uma das primeiras pessoas do mundo a pilotar um balão dirigível com motor e gasolina. Apesar de haver discordâncias sobre Santos Dumont ter inventado ou não o avião (os irmãos Wright que o teriam inventado), o aeronauta contribuiu e muito para o campo, principalmente com o seu modelo 14-bis, famoso mundialmente

  • Reprodução/Governo Federal

    José Bonifácio de Andrada e Silva

    José Bonifácio de Andrada e Silva atuou fortemente pela independência do Brasil, sendo um estadista importante para que a colônia deixasse Portugal e se consagrasse como um país livre. Em 21/4/2007, entrou para o livro e, em 2018, foi proclamado oficialmente o Patrono da Independência

  • Wikipédia

    Frei Joaquim do Amor Divino Rabelo, o Frei Caneca

    Mais conhecido como Frei Caneca, o Frei Joaquim do Amor Divino Rabelo está no livro dos heróis desde 11/10/2007 e é enxergado como um dos líderes da Revolução Pernambucana (1817) e da Confederação do Equador (1824), ambos movimentos libertários que queriam a separação de Brasil e Portugal. É conhecido pelo apelido Frei Caneca pela sua frase: "Quem bebe da minha caneca tem sede de liberdade!"

  • Wikipédia

    Marechal Manuel Luís Osório

    O Marechal Manuel Luís Osório, herói da Guerra da Tríplice Aliança e o patrono da Arma de Cavalaria do Exército brasileiro, também está no livro de heróis. Ele foi incluído em 27/05/2008

  • Wikpédia

    Ildenfonso Pereira Correia, o barão do Serro Azul

    Incluído em 16/12/2008 no livro de heróis da pátria, Ildenfonso Pereira Correia, o barão do Serro Azul, foi um empresário brasileiro morto durante a Revolução Federalista, que buscava maior independência frente a nova república. Ele também foi o maior exportador de erva-mate do Brasil

  • Reprodução/Plano Brasil

    Brigadeiro Antônio de Sampaio

    Em 24/4/2009, quem passou a figurar no livro de heróis foi o brigadeiro Antônio de Sampaio, por sua atuação na Guerra da Tríplice Aliança. O conflito, considerado um dos maiores da América do Sul, ocorreu entre o Paraguai e a Tríplice Aliança, composta por Brasil, Argentina e Uruguai

  • Reprodução/Franciscanos ? RS

    Sepé Tiaraju

    Guerreiro indígena e considerado santo popular, Tiaraju foi o principal nome da resistência ao avanço dos colonizadores e bandeirantes no território dos Sete Povos das Missões, no Rio Grande do Sul. Sepé Tiaraju, batizado pelos espanhóis como Joseph Tyarayu, ficou conhecido por resistir bravamente aos ataques militares portugueses e espanhóis aos povos das colônias. Sua inscrição no livro se deu em 21/7/2009

  • Reprodução/Donna Loop

    Anna Justina Ferreira Nery

    Presente no livro desde 02/12/2009, Anna Nery era uma enfermeira que atuou na Guerra do Paraguai. Para acompanhar seus filhos no combate, Anna passou a prestar serviços nos hospitais do Rio Grande do Sul. Sua atuação foi tão importante e que ficou reconhecida como a pioneira da enfermagem no Brasil

  • Reprodução/Museu da Comunicação Hipólito José da Costa

    Hipólito José da Costa Furtado de Mendonça

    Patrono da Imprensa, Hipólito José da Costa fundou o primeiro jornal brasileiro, o Correio Braziliense ou Armazém Literário, que circulou de 1808 a 1823. Com seu jornal, propagava os ideais liberais e cobria as revoluções que levariam à Independência do Brasil. Entrou no livro dos heróis em 05/7/2010

  • Reprodução/SaoMateusNews

    São José de Anchieta

    O Padre Anchieta, hoje São José de Anchieta, foi um jesuíta espanhol e um dos fundadores da cidade de São Paulo. Ele passou a fazer parte do livro de heróis da Pátria em 05/7/2010

  • Reprodução/UOL Educação

    Getúlio Dorneles Vargas

    Presidente do Brasil de 1930 a 1945 e, depois, de 1951 a 1954, Getúlio Vargas está no livro de heróis desde 15/7/2010. Vargas foi um dos líderes da Revolução de 1930 que pôs fim à República Velha

  • Reprodução/Geledés

    Conjuração Baiana

    Além de nomes famosos, a lista de heróis também inclui grupos de pessoas. É o caso da Conjuração Baiana, movimento de caráter popular que, no final do século 18, defendia a independência e o fim da escravidão. Os heróis deste movimento são João de Deus do Nascimento, Lucas Dantas de Amorim Torres, Manuel Faustino Santos Lira e Luís Gonzaga das Virges e Veiga, inscritos desde 04/3/2011

  • Reprodução/Medium

    Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo (MMDC)

    Mário Martins de Almeida, Euclides Bueno Miragaia, Dráusio Marcondes de Sousa e Antônio Américo Camargo de Andrade são os heróis paulistas da Revolução Constitucionalista de 1932, revolta ao governo de Getúlio Vargas. Os heróis também são conhecidos pela sigla MMDC e estão no livro desde 20/6/2011

  • Wikipédia

    Júlio César Ribeiro de Souza

    Inventor, Júlio César Ribeiro de Souza também foi pioneiro na dirigibilidade aérea, construindo o balão dissimétrico. Ele foi incluído no livro em 15/7/2011

  • Reprodução/Jornal Opção

    Heitor Villa-Lobos

    Maestro e compositor, Heitor Villa-Lobos é um dos principais nomes da música no Brasil e está no livro dos heróis desde 26/7/2011. Carioca, Villa-Lobos fez parte do movimento modernista e compôs suas obras incorporando elementos das culturas regionais, populares e indígenas

  • Wikipédia

    Domingos José Martins

    Um dos líderes da Revolução Pernambucana de 1817, movimento emancipacionista contra a Coroa Portuguesa, Domingos José Martins foi incluído no livro de heróis do Brasil em 15/7/2011

  • Wikipédia

    Padre Roberto Landell de Moura

    O Padre Landell ficou conhecido por suas invenções e sua atuação na ciência: ele foi um dos primeiros no mundo a conseguir a transmissão de som por meio de ondas eletromagnéticas. Suas descobertas seriam a base para o telefone e o rádio. Ele está no livro dos heróis desde 27/4/2012

  • Reprodução/Xapuri

    Ana Maria de Jesus Ribeiro (Anita Garibaldi)

    Heroína da Guerra dos Farrapos, Anita Garibaldi é uma das mulheres que estão no livro, desde 30/4/2012. Ana Maria de Jesus Ribeiro se tornaria Anita Garibaldi após se casar com o revolucionário italiano Giuseppe Garibaldi. Junto ao marido, lutou na Revolução Farroupilha, movimento republicano contra o Império no Brasil, e também na unificação da Itália, ficando conhecido como a heroína de dois mundos

  • Reprodução/Congresso Brasil Paralelo

    Heróis da Batalha dos Guararapes

    Os heróis da Batalha de Guararapes, batalha entre holandeses e defensores do Império Português na região do Morro de Guararapes, em Pernambuco, estão no livro desde 06/8/2012. São eles: Francisco Barreto de Meneses, João Fernandes Vieira, André Vidal de Negreiros, Henrique Dias, Antônio Filipe Camarão e Antônio Dias Cardoso

  • Reprodução/Fundação Caio Martins

    Caio Vianna Martins

    Inscrito no livro em 17/9/2012, Caio Vianna Martins foi um escoteiro brasileiro considerado um exemplo para todo o movimento, por sua atuação heroica durante um acidente de trem em 1938, no qual 40 pessoas acabariam mortas, incluindo o próprio Caio

  • Wikipédia

    Joaquim Nabuco

    Incluído em 02/6/2014, Joaquim Nabuco é também um dos heróis nacionais. Um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, ele foi um intelectual importante para o movimento da abolição da escravatura no Brasil

  • Wikipédia

    Bárbara Pereira de Alencar

    Bárbara Pereira de Alencar é a primeira presa política do Brasil, na época dos confrontos emancipacionistas contra Portugal, como a Revolução Pernambucana e a Confederação do Equador. A pernambucana, que é avó do escritor José de Alencar, foi incluída no livro em 22/12/2014

  • Reprodução/Portal FEB

    Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon

    O Marechal Rondon foi incluído no livro em 30/6/2015 e foi um sertanista responsável por expandir os caminhos na Região Centro-Oeste. Em homenagem a ele, foi dado o nome de Rondônia ao estado brasileiro

  • Wikipédia

    Leonel de Moura Brizola

    Considerado um grande nome da esquerda e do movimento trabalhista, Leonel Brizola foi governador dos estados do Rio de Janeiro, em 1983 e 1991, e do Rio Grande do Sul, em 1959. Ele está no livro dos heróis desde 28/12/2015

  • Reprodução/Mulheres Notáveis - Blogger

    Clara Filipa Camarão

    Em 27/3/2017, passou a figurar o nome de Clara Filipa Camarão. Nascida no século 17, ela foi uma indígena que se tornou líder de um pelotão feminino durante as invasões holandesas em Recife

  • Wikipédia

    Jovita Alves Feitosa

    Jovita Alves Feitosa se alistou para a Guerra do Paraguai vestida de homem, para conseguir lutar nas trincheiras. Ela foi descoberta, mas acabou indo para a batalha mesmo assim, tornando-se heroína nacional, reconhecida em 27/3/2017 como tal

  • Wikipédia

    Zuleika Angel Jones, a Zuzu Angel

    A estilista Zuzu Angel, famosa pelo seu trabalho no mundo da moda, ficou também reconhecida por outra atuação. Era mãe do militante político Stuart Angel Jones, desaparecido durante a Ditadura Militar de 1964. Zuzu Angel foi um dos símbolos da busca pelos desaparecidos políticos e contra a ditadura militar, inscrita no livro em 12/4/2017

  • Wikipédia

    Joaquim Maria Machado de Assis

    Machado de Assis foi um dos maiores escritores de toda a literatura brasileira. Carioca e de família pobre, o escritor foi também um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Ele está no livro dos heróis do Brasil desde 21/12/2017

  • Wikipédia

    Antônio Carlos Gomes

    O maestro Carlos Gomes é um dos grandes nomes da música brasileira, fazendo muito sucesso em toda a Europa. Ele foi o primeiro brasileiro a apresentar suas obras no Teatro alla Scala, importante teatro em Milão, na Itália. Carlos Gomes foi incluído no livro em 26/12/2017

  • Reprodução/Sape Prefeitura

    João Pedro Teixeira

    No ano de 2018 também já foram incluídos alguns nomes. Um deles é João Pedro Teixeira, incluído em 8 de janeiro, líder das ligas camponesas na Paraíba, movimento que luta pela reforma agrária no Brasil e a favor dos pequenos produtores rurais. Foi morto em 1962 a mando de um grupo de latifundiários

  • Wikipédia

    José Feliciano Fernandes Pinheiro

    Outro nome incluído em 08/1/2018 foi o de José Feliciano Fernandes Pinheiro, um dos fundadores do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB). O instituto é um importante órgão das ciências sociais e da preservação histórico-geográfica e cultural no Brasil

  • Wikipédia

    Euclides da Cunha

    Primeiro-Tenente Euclides Rodrigues Pimenta da Cunha, mais conhecido simplesmente por Euclides da Cunha, foi um jornalista e escritor que cobriu os eventos da Guerra de Canudos, publicando em seguida o livro "Os Sertões", uma das obras mais importantes da literatura brasileira. Ele está no livro de aço desde 15/1/2018

  • Reprodução/Asilo Irmão Joaquim

    Joaquim Francisco da Costa

    Joaquim Francisco da Costa, o Irmão Joaquim, foi incluído no livro também em 15/1/2018. Ele ficou conhecido por arrecadar esmolas que serviriam para a fundação do primeiro hospital de Santa Catarina, em 1789. Hoje, o local funciona como um asilo

  • Reprodução/Wikipédia

    Luís Gonzaga Pinto da Gama

    O Patrono da Abolição da Escravidão do Brasil foi homenageado e incluído no livro em 16/1/2018. Luís Gama foi escravo até seus dez anos de vida, analfabeto até 18 e se tornou um dos grandes escritores e intelectuais do movimento abolicionista brasileiro

Listas