PUBLICIDADE
Topo

Dia Internacional da Mulher: vamos homenagear 34 incríveis inventoras

Colaboração para o BOL

07/03/2019 14h00

Quem poderia imaginar que foram as mulheres quem inventaram a cerveja? Pois é a verdade. Conta a história que, por ser presente de uma deusa, a deusa Ninkasi, apenas as mulheres tinham permissão para fabricar cerveja e ter tabernas, por volta do ano 4000 a.C., na Mesopotâmia e na Suméria. Não sabia disso? Então, diga se você já sabia que essas outras 34 invenções são criações de mulheres. Confira!
 

  • Reprodução/Wiki Commons

    Ada Lovelace - Algorítimo de programação

    A filha do poeta romântico Lorde Byron viveu em Londres, na Inglaterra, entre 1815 e 1852 e estudou matemática influenciada por sua mãe. Em 1842, a condessa inglesa se tornou a primeira programadora da história, criando um algoritmo que permitiu à máquina analítica (precursora do computador) computar uma série de números complexos, conhecidos como princípio de Bernoulli. Foi a primeira máquina programada para executar comandos de qualquer tipo. Seu algorítimo é considerado a origem de todos os programas de computador

  • Reprodução/Blackmail4u.com

    Alice Parker - Aquecedor a Gás

    Formada em 1910 no colégio da Universidade de Harvard, a americana de New Jersey, que nasceu em 1895, desenvolveu, em 1919, um sistema em que uma fonte de calor central distribuía o aquecimento por tubos de ar por toda uma casa. Com esse modelo surgiram os sistemas modernos de aquecimento a gás que, até o século 20, eram utilizados apenas no aquecimento industrial. No final da década de 1910, ela conseguiu a patente de sua invenção, que eliminou a necessidade de lareiras em todos os cômodos de uma residência, situação que era comum nos países frios do Hemisfério Norte

  • Reprodução/YouTube @Doodle Celebration Today

    Amalie Auguste Melitta Bentz - Filtro de Café

    Os experimentos desta dona de casa que viveu em Dresden, na Alemanha, de 1873 a 1950, resultaram na criação do primeiro filtro de café para solucionar o problema dos coadores de pano que, por serem feitos de linho, eram difíceis de limpar. Depois de muitas tentativas, Amalie usou um papel filtrante colocado dentro de um recipiente de latão que tinha um furo na parte inferior. Com o café feito mais rápido e sem resíduos do pó, a alemã foi a primeira a produzir o filtro de papel o que resultou em uma empresa que está presente em mais de 100 países

  • Reprodução/Engrave

    Anna Connelly - Saída de incêndio

    As escadas de incêndio, posicionadas do lado de fora dos prédios, com uma estrutura de metal, foram inventadas e patenteadas por Anna Connelly, em 1897, tornando-se obrigatórios nas construções urbanas dos Estados Unidos a partir de 1900

  • Reprodução/Inclusity

    Bette Nesmith Graham - Corretivo líquido para papel

    Nascida em Dallas, no Texas (EUA), em 1924, a datilografa americana, a partir de sua necessidade de corrigir alguns erros de datilografia, criou o "liquid paper", corretivo líquido a base de tinta branca para papel, usado como material escolar ou de escritório. Ela passou anos aprimorando uma fórmula na cozinha de casa até patentear a ideia, em 1958. Por 47,5 milhões de dólares, a marca Gillette comprou sua empresa em 1979

  • Reprodução/orelhao.arq.br

    Chu Ming Silveira - Orelhão

    Nascida em Xangai, a chinesa naturalizada brasileira, que viveu de 1941 até 1997, se formou em arquitetura pela Universidade Mackenzie, em São Paulo, desenvolveu um protetor para telefonemas públicos muito útil e funcional. As estruturas levam seu nome, mas ficaram conhecidas mesmo como "Orelhinha" e "Orelhão". A partir de 1973, o inventou foi exportado para Moçambique e se tornou inspiração de modelos utilizados em países como Angola, Peru, Colômbia, Paraguai e China, seu país de origem

  • Reprodução/Achievement.org

    Gertrude Elion - Medicamentos usados no tratamento da leucemia

    Motivada por seu avô, que sofria de leucemia, Gertrude Elion foi a pesquisadora especialista em tratamentos de leucemia e gota. Nascida em Nova York, EUA, em 1918, foi a única mulher graduada na Universidade de Nova York em 1939 e mestrado em Química em 1941. Recebeu o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1988 pela descoberta dos remédios para a doença de seu avô, novos e importantes princípios de quimioterapia, incluindo a dos betabloqueadores

  • Reprodução/Space.com

    Grace Hopper - Software de Computador

    Nascida em Nova York (EUA), em 1906, Grace criou uma linguagem de códigos para computadores em 1944. Almirante da Marinha com Ph.D. em Matemática, Hopper trabalhou durante a Segunda Guerra Mundial na programação do computador Mark I. Inventou o primeiro software para linguagens de programação e precursor do COBOL, padrão de programação voltada ao uso comercial. O termo "bug" (inseto) também foi inventado por ela, quando encontrou uma mariposa dentro do computador danificado. Foi homenageada pela Marinha americana, que batizou um navio em sua homenagem: o USS Hopper

  • Reprodução/The New Yorker

    Hedy Lammarr - Conexão sem fio

    Nascida em 1914, em Viena, na Áustria, e naturalizada norte-americana, Hedy Lammar era uma famosa atriz de Hollywood com outros talentos: em 1940, ela desenvolveu uma tecnologia que controlava torpedos à distância e conseguiu despistar radares nazistas. Os canais de frequência de rádio eram rapidamente alternados para que não fossem interceptados pelo inimigo durante a Segunda Guerra Mundial. Esse conceito de transmissão viabilizou o desenvolvimento de tecnologias como o telefone celular, o Wi-Fi e o bluetooth

  • Reprodução/Wikioo

    Hypatia de Alexandria - Hidrômetro

    Por volta do ano de 400, a matemática, astrônoma e filósofa Hypatia de Alexandria inventou o hidrômetro, instrumento que mede o volume de água e é usado ate hoje

  • Reprodução/The Bowery Boys

    Josephine Cochran - Lava-louças

    Americana nascida em Ohio, em 1839, Josephine Cochran patenteou, em 1886, a primeira máquina de lavar louças automática, e apresentou sua invenção na Feira Mundial de Chicago, em 1893, atraindo o interesse de restaurantes e hotéis. Foi somente nos anos 1950 que o eletrodoméstico se tornou mais conhecido pelo público geral, por conta do aumento da disponibilidade de água quente nas casas, de detergentes para lavar louça e de uma mudança de costumes em relação ao trabalho doméstico. Em 2006, seu nome foi incluído na lista de inventores da organização National Inventors Hall of Fame

  • Reprodução/MiSce/WMHT

    Katharine Burr Blodgett - Vidro invisível (antirreflexo)

    Nascida em Nova York, em 1898, Katharine foi a primeira mulher Ph.D. em Física em Cambridge, e inventou o "vidro invisível", ou vidro que não reflete, baseada em pesquisas sobre camadas monomoleculares. O filme "E o Vento Levou" foi o primeiro a utilizar a invenção em suas câmeras, em 1939, vencendo o Oscar de melhor fotografia. Anos mais tarde, o vidro invisível foi incorporado a microscópios, telescópios e câmeras fotográficas

  • Reprodução/Engrave

    Letitia Geer - Seringa

    Nascida em 1852, a americana Letitia Mumford Geer criou a primeira seringa para aplicação de substâncias por meio de um pistão, que podia ser manipulada por médicos e enfermeiros utilizando apenas uma das mãos, o que facilitou o trabalho dos profissionais de saúde. As seringas utilizadas atualmente são inspiradas no modelo de Geer, de 1899

  • Reprodução/Prabook

    Lillian Gilbreth - Lixeira com pedal

    Conhecida por aperfeiçoar produtos e utensílios que já existiam no início do século 20, a americana nascida na Califórnia, em 1878, Lillian Moller Gilbreth foi a responsável por projetar as prateleiras posicionadas nas portas da geladeira, melhorou o abridor de latas elétrico e lançou o pedal colocado em lixeiras para poder abri-las sem utilizar as mãos

  • Reprodução/Facebook @Kickstarter

    Lily Born - Copo canguru ou caneca de três pernas

    Nascida na Inglaterra, em 2003, Lily Born ficou conhecida por criar um objeto para auxiliar o avô, portador da doença de Parkinson. Com apenas 11 anos, a menina inventou uma caneca de três pernas, mais estável, que não derramava água. Para conseguir realizar o projeto, a garota contou com a ajuda de uma "vaquinha virtual". Apesar do sucesso, a caneca era feita de cerâmica, portanto, quebrava facilmente. Numa segunda fase do projeto, Lili passou a produzir a caneca em plástico, mais durável

  • Wikipedia

    Lizzie Magie Phillips - Banco Imobiliário

    Além de inventora, Elizabeth J. Magie era atriz, comediante, repórter, escritora e engenheira. Nascida em Illinois, EUA, em 1866, a ativista do movimento Single Tax (Imposto Único), liderado pelo economista Henry George, criou um jogo, em 1904, para divulgar seus princípios à população de baixa renda. O movimento defendia um imposto único relacionado ao valor da propriedade. Inicialmente, o jogo era chamado de Landlord's Game (Jogo dos Senhores de Terras), e, atualmente é comercializado com os nomes de Monopólio ou Banco IImobiliário

  • Reprodução/Stuff You Missed in History Class

    Lotte Reiniger - Filme de Animação

    O teatro de sombras chinês foi a inspiração para que essa diretora de cinema, nascida em Berlim, na Alemanha, em 1899, criasse uma nova forma de contar histórias no início do século 20. Ela foi pioneira da animação de silhuetas. Fez mais de 40 filmes, entre eles "As Aventuras do Príncipe Achmed" (1926) - o mais antigo longa-metragem de animação, anterior ao filme de Walt Disney, "Branca de Neve e os Sete Anões" (1937) - e "Papageno" (1935), personagem da Flauta Mágica, de Mozart. Ela também foi a responsável pela criação da precursora da câmera multiplano

  • Reprodução/Avtoz

    Margaret Knight - Máquina para produzir sacos de papel

    Nascida em Maine, nos EUA, em 1838, foi uma das inventoras que mais registrou patentes na história - 87 em toda sua vida -, apesar de ter abandonado a escola ainda criança para trabalhar em uma fábrica. Em 1871, recebeu sua patente para uma máquina que produzia sacos quadrados de fundo plano, após uma longa batalha legal com Charles Anan, que tentou roubar seu trabalho dizendo que "a brilhante invenção não poderia ser obra de uma moça tão nova". Aos 12 anos, inventou um dispositivo de segurança para fábricas de algodão que é usado ainda hoje

  • Reprodução/Driving In Heels

    Margaret Wilcox - Sistema de aquecimento automotivo

    Nascida em 1838, a americana de Washington D.C. foi uma das poucas engenheiras mecânicas do século 19. Ela criou o sistema de aquecimento em automóveis em 1893. O modelo mandava o ar diretamente do motor para os pés do motorista, mas ainda não permitia regular a intensidade do calor. Foi o primeiro passo para o desenvolvimento dos aquecedores modernos. Ela também inventou uma cominação de lavadora de roupas e louças e o aquecedor de água em 1907

  • Reprodução/Engrave

    Maria Beasley - Bote salva-vidas

    A americana que nasceu na Pensilvânia, em 1847, não tinha medo de novidades e de criar coisas novas. Ela foi a responsável pela invenção e produção de um bote salva-vidas mais resistente, à prova de fogo e compacto. Até 1870, o bote era basicamente uma tábua de madeira. Sua versão era mais fácil de dobrar e armazenar. Seu bote poupou centenas de vidas no naufrágio do Titanic, em 1912

  • Reprodução/Cellcode

    Mária Telkes - Gerador e refrigerador termoelétricos

    Essa húngara nascida em Budapeste em 1900, Ph.D. em físico-química, defendia as experiências com energia solar e foi pioneira na exploração dessa fonte de energia em uma residência. Na década de 1940, desenvolveu o primeiro gerador termoelétrico e construiu, em Dover, nos Estados Unidos, em parceria com a arquiteta Eleanor Raymond, a primeira residência moderna com aquecedor solar, a Dover Sun House. Em 1953, inventou o freezer termoelétrico. Suas invenções lhe renderam muitos prêmios e um lugar no Hall da Fama dos Inventores dos Estados Unidos

  • Reprodução/Black America Web

    Marie Brown - Sistema de monitoramento doméstico por vídeo

    Preocupada com o alto índice de criminalidade em seu bairro, a dona de casa Marie Brown, nascida em Nova York, em 1922, criou um sistema de vigilância por vídeo de uso doméstico, que tinha um conjunto de quatro olhos mágicos e uma câmera que podia subir e descer para olhar em cada um deles. Também era possível destravar a porta via controle remoto. O sistema era tão eficaz que foi rapidamente adotado por muitos negócios. A criação de Marie venceu o prêmio do Comitê Nacional da Ciência dos EUA. A patente foi conferida à Marie Brown em 1969

  • Reprodução/History Extra

    Marie Curie - Teoria da radioatividade

    A polonesa nascida em Varsóvia, em 1867, fez algumas das maiores descobertas da física. Em 1903, ganhou o Prêmio Nobel por suas experiências no campo da radioatividade. Em 1911, recebeu o Nobel de Química pelo descobrimento dos elementos rádio e polônio, o isolamento do rádio e o estudo de sua natureza. Ela nunca patenteou suas descobertas para que toda a comunidade científica pudesse investigar suas propriedades. Foi a primeira mulher a ser reconhecida com um Nobel e a primeira pessoa e única mulher a ganhar o prêmio duas vezes individualmente

  • Divulgação

    Marion Donovan - Calça plástica e fraldas descartáveis

    Pais e mães sabem o quanto esta invenção é importante e facilitam a vida. Em 1951, a americana Marion O'Brien Donovan, nascida em Indiana (EUA), em 1917, patenteou a capa de fralda impermeável que, originalmente, era feita com uma cortina de chuveiro. O produto foi vendido pela primeira vez na loja de luxo Saks Fifth Avenue. Dois anos depois, a patente foi vendida para a Keko Corporation por 1 milhão de dólares e Donovan lançou, logo em seguida, um modelo totalmente descartável de fraldas

  • Reprodução/Inventor's Eye

    Mary Anderson - Limpador de para-brisa

    Em uma visita à cidade de Nova York em um dia gelado, Mary Anderson observou que o motorista dirigia com os painéis da janela frontal dupla abertos por causa da falta de visibilidade. Ao voltar para sua cidade natal, no Alabama, desenvolveu um dispositivo manual para manter o para-brisa limpo da chuva e da neve. A invenção permitia que o vidro fosse limpo pelas lâminas, ativadas no interior do veículo, em 1903

  • Reprodução/Scholastic

    Patricia Bath - Cirurgia a laser para olhos

    A nova-iorquina nascida em 1942 ganhou, aos 17 anos, uma bolsa de estudos e, em 1970, concluiu sua residência em oftalmologia. Viajou o mundo com o objetivo de trazer consciência para os problemas da visão e inventou a sonda LaserPhaco para cirurgia de catarata. O dispositivo utiliza um raio laser para fazer uma pequena incisão no olho e sua energia vaporiza as cataratas em poucos minutos. Só recebeu sua patente em 1988. Ela também tem patentes da invenção no Japão, Canadá e países europeus

  • Reprodução/Scroll/ResearchGate

    Rosalind Franklin - Fotografia 51: a dupla hélice do DNA

    Nascida em Londres, na Inglaterra, em 1920, aos 15 anos decidiu que seria cientista. A Ph.D. inglesa foi responsável por uma descoberta fundamental no campo do DNA: a Fotografia 51, uma mostra nítida da estrutura de dupla hélice do DNA, descoberta a partir da análise da estrutura física de materiais carbonizados utilizando raios-X. Outros cientistas publicaram o trabalho em seu lugar e receberam o Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1962. Anos depois, um deles reconheceu a farsa. Hoje, ela é reconhecida por suas descobertas sobre a estrutura do DNA

  • Reprodução/Face2Face Africa

    Sarah Boone - Tábua para passar roupas

    Nascida em 1892, na Carolina do Norte (EUA), a costureira Sarah Boone recebeu a patente por aprimorar a estrutura da tábua de passar roupas em 1892. O objeto era feito de madeira, tinha uma superfície mais prática para passar mangas e roupas femininas, era curvo e estreito

  • Reprodução/Bilderbeste

    Sarah Goode - Cama de gabinete dobrável

    A invenção da americana nascida em Ohio, em 1855, nasceu da necessidade de seus clientes, que iam até sua loja de móveis, a procura de uma cama para pequenos espaços. A ex-escrava casada com um carpinteiro não tardou a criar uma cama dobrável, que também servia como escrivaninha, que foi a precursora do sofá-cama. Foi uma das primeiras mulheres negras a ganhar uma patente nos EUA, em 1885

  • Reprodução/Save the Animals, Include You

    Sayuri Miyamoto - Isopor biodegradável

    Em 2015, quando tinha 17 anos e cursava o segundo ano do ensino médio em Curitiba (PR), Sayuri Miyamoto criou um material biodegradável feito com bagaço de cana-de-açúcar, para substituir as bandejas de poliestireno expandido, conhecido pela marca comercial Isopor. Sua invenção rendeu mais de 15 prêmios, participação em uma conferência científica em Portugal e em uma feira de ciências em New York, o prêmio "Jovens Inventores" do programa de TV Caldeirão do Huck e uma semana visitando a Universidade de Harvard, nos Estados Unidos

  • Reprodução

    Shirley Ann Jackson - Tecnologia das telecomunicações

    Nascida em 1946, em Washington D.C. (EUA), a doutora Shirley foi a primeira mulher negra a concluir um doutorado no MIT - Instituto de Tecnologia de Massachusetts, em 1973, e a receber a Medalha Nacional da Ciência dos Estados Unidos, em 2014. Foi pioneira nas pesquisas com a teoria de partículas elementares, essencial para o setor de TI - Tecnologia da Informação, possibilitando invenções como o fax portátil, o telefone com toque, cabos de fibra óptica e identificador de chamadas

  • Reprodução/Forbes

    Stephanie Kwolek - Kevlar

    Nascida em 1923, a americana da Pensilvânia tinha interesse especial por moda, apesar de ser formada em Química. Esse interesse a levou, em 1966, a criar e registrar a patente de uma família de fibras sintéticas ultrarresistentes e maleáveis, chamada de Kevlar. Em 1959, Kwolek ganhou o primeiro de muitos prêmios, como a Medalha Nacional de Tecnologia dos EUA e o Prêmio do Instituto de Pesquisa Industrial. Hoje em dia, a indústria utiliza o Kevlar em aviões, pneus, barcos e, principalmente, em coletes à prova de balas, além de outros artigos de vestuário. Stephanie Kwolek foi uma grande apoiadora de programas de avanço na ciência para meninas

  • Reprodução/Famous Inventors

    Tabitha Babbitt - Serra circular

    Nascida em uma comunidade Shaker - uma seita cristã -, conhecida por seus móveis de alta durabilidade, a americana de Massachusetts, nascida em 1779, desenvolveu, em 1813, a primeira serra circular, que permitiu cortar madeira muito mais rápido do que o método tradicional, que utilizava uma máquina movida pela água de um moinho, tornando mais ágil e seguro trabalhar na construção civil e na produção de móveis. Sua invenção só foi registrada em 1816, graças a dois franceses que tiveram acesso aos documentos alguns anos após sua data de criação

  • Reprodução/GNC

    Therezinha Beatriz Alves de Andrade Zorowich - Lava-arroz

    Apesar de ser uma cirurgiã dentista, Zorowich se destacou por ter inventado e patenteado o escorredor de arroz, em 1952, com ajuda do marido, que era engenheiro, a partir da necessidade de utilizar um só utensílio para lavar e escorrer o alimento. O lava-arroz foi produzido inicialmente pela empresa Trol S/A, que pagou dividendos a Therezinha durante 15 anos para obter a licença e patente da criação

Errata: o texto foi atualizado
No item 31, a imagem exibida inicialmente como sendo da física Shirley Ann Jackson era, na verdade, da escritora Shirley Hardie Jackson. A foto foi trocada pela imagem correta.

Listas