Topo

Aliança Ford-VW: cinco carros que gostaríamos de ver aqui no Brasil

Arte UOL Carros
A Ford deixou de ter uma picape compacta desde a aposentadoria da Courier, em 2013. Esta é a chance da volta! Imagem: Arte UOL Carros
do UOL

Eugênio Augusto Brito, Vitor Matsubara

Do UOL em São Paulo (SP)

16/01/2019 07h00

As especulações começaram em junho de 2018 e só foram confirmadas sete meses depois: Ford e Volkswagen confirmaram aliança para produção conjunta com declarações simultâneas nos EUA (durante o Salão de Detroit) e na Europa. Inicialmente, apenas veículos comerciais e utilitários serão produzidos em parceria, visando os mercados da Europa, América do Sul (Brasil na conta) e África.

Um primeiro produto já está definido para chegar em 2022: uma picape média baseada na evolução da plataforma da Ranger, primeiro com marca e equipamentos da Volkswagen, depois em roupagem da própria Ford.

Mas quais seriam os outros possíveis produtos?

Uma coisa a ser lembrada é que o foco da aliança é reduzir custos e ampliar competitividade das duas empresas. Usar a força de uma empresa em uma área -- ou em um mercado--  para as suprir deficiências de outra. O objetivo é claro: ser líder. O grupo Volkswagen é líder global de carros de passeio, então ter proeminência também com veículos comerciais é um passo natural.

Para a Ford, que passou 2018 afirmando que vai abrir mão de carros de passeio em alguns mercados para colocar sua energia em modelos elétricos, esportivos e picapes, parece lógico querer que este tipo de produto dê certo em todos os mercados possíveis. Daí a necessidade de contar com uma rede de distribuição ampla como a da Volkswagen. 

A Ford é uma especialista em picapes, sua Série F é o modelo mais vendido do mercado norte-americano há quase 40 anos sem qualquer ameaça. Já a Volkswagen vai bem em furgões, vans e caminhões: na Europa, a série Transporter ("herdeira" da Kombi) segue firme e forte e mesmo conceitos elétricos estão em planejamento para manter a linha ativa (é o caso do I.D. Buzz, previsto para 2022).

Como base nessas premissas, mas pensando no mercado brasileiro e suas necessidades, UOL Carros monta uma lista rápida com cinco produtos que poderiam surgir da aliança Ford-Volkswagen para tapar buracos existentes por aqui. Tem outras ideias? Deixe no campo de comentários!

Ford+Volks para o Brasil

  • Arte UOL Carros

    Rangerok

    Sabe-se que um dos pontos centrais da parceria entre Ford e Ranger é o desenvolvimento da próxima geração de picapes médias -- leia-se Ranger e Amarok. O lançamento está previsto para 2022 e já se sabe que a base será da Ford, daí o bom apelido que já vamos adotar: "Rangerok". Na América do Sul, inclusive, os modelos poderiam ser produzidos na Argentina, grande mercado produtor de picapes e terra-natal de Hilux, Frontier e de Ranger e Amarok atuais. Leia mais

  • Murilo Góes/UOL

    Uma nova Courier!

    A Ford tem grande tradição em picapes médias e grandes, mas está longe do segmento de picapes compactas desde 2013, quando deixou de produzir a Courier. A Volkswagen demorou para se achar entre as médias, mas sempre teve sucesso com a Saveiro. Seria a oportunidade ideal de a volta um mito do "trabalho pesado".Já que a VW pretende lançar a versão definitiva e tecnológica da Tarok (picape compacto-média como Fiat Toro e Renault Oroch), por que não lançar uma versão Ford, com maior caçamba e mais voltada ao trabalho? Seja como for, os americanos já estariam desenvolvendo um modelo deste porte para ser lançado nos próximos anos. A imprensa local já deu até nome para o futuro modelo: Courier. Coincidência? Talvez não.

  • Fernando Miragaya/UOL

    Uma nova Kombi, claro

    Lá se vão quatro anos desde a despedida da Kombi. A perua foi produzida por 56 anos ininterruptos no Brasil, e deixou uma legião de fãs órfãos. Por outro lado, era uma modelo sem qualquer condição de atender às demandas do mercado atual. O modelo brasileiro correspondia à geração dois da van alemã Transporter, que agora pensa sua oitava geração. A aliança com a Ford pode ser o impulso que falta para viabilizar um furgão global. Base para ele já existe: o I.D Buzz é um conceito de utilitário elétrico que será lançado na Europa nos próximos anos. Ter abertura também no mercado da América e, por que não, fabricação na Argentina (lembrando, de novo, da excelência desse mercado na construção de modelos comerciais) seria o empurrão final que falta a este projeto.

  • Divulgação

    Ford F-150 no Brasil?

    Importar a F-150 (ou sua versão nervosa Raptor) para cá é sempre um assunto que deixa a Ford reticente. Vontade não deve faltar, mas o motivo é econômico, já que a operação para vendê-la aqui seria custosa demais diante das vendas tímidas. Porém, uma rede de concessionárias mais robusta como a da Volkswagen poderia turbinar os resultados da F-150. haveria até a alternativa, ainda soe bizarra, de produzir uma versão da F-150 com o logotipo da Volkswagen -- além de América do Sul, poderia abastecer África e Europa. E aí, dá para esperar esse monstro por aqui?

  • Divulgação

    Caminhão elétrico da Ford

    Como a Ford vai focar em elétricos e utilitários, mas ainda não sinalizou claramente com quais produtos fará isso, a Volkswagen não só abraçou a causa como anunciou a intenção de lançar mais de 30 modelos movidos a eletricidade até 2025. Como a aliança prevê foco em veículos comerciais, a Ford poderia aproveitar as tecnologias alemãs para ter caminhão elétrico em sua linha. Até porque a Volkswagen já faz testes finais com uma versão elétrica do caminhão pequeno Delivery, totalmente desenvolvido no Brasil.

Mais Listas