PUBLICIDADE
Topo

12 fatos marcantes na trajetória de Sonia Braga

REUTERS/Yves Herman
Imagem: REUTERS/Yves Herman

Colaboração para o BOL

08/06/2018 08h10

A atriz que compartilha o talento brasileiro internacionalmente faz 68 anos nesta sexta-feira (8/6/2018).  Com diversas indicações a prêmios por conta de seu desempenho artístico, a tia de Alice Braga construiu uma trajetória marcante ao longo dos anos. Confira os principais da carreira de Sonia Braga.

  • Reprodução/Blog Expirados

    O amor pelos palcos

    Nascida em Maringá, no Paraná, a atriz se mudou com os pais e os sete irmãos para Curitiba ainda com um ano de idade. Mais tarde, eles foram para Campinas (SP) e, posteriormente, para São Paulo. Aos 14 anos, começou a atuar em pequenos papéis de programas e teleteatros infantis na TV Tupi, como o "Jardim Encantado", apresentado por Hélio, seu irmão. Mais tarde, passou a se apresentar na região do ABC com um grupo teatral

  • Reprodução/YouTube

    Carreira engrenando

    Aos 18 anos, Sonia Braga fez parte do elenco da primeira montagem brasileira da peça "Hair", então dirigida por Ademar Guerra. O papel garantiu a ela um trabalho na TV Excelsior no ano seguinte, porém a emissora fechou antes de a novela "A Menina do Veleiro Azul" ir ao ar. Apenas um ano depois, ela esteve em "Irmãos Coragem", na Globo, e nos anos seguintes participou de outros dois trabalhos de Janete Clair, autora da trama: "Selva de Pedra" e "Fogo Sobre a Terra"

  • Divulgação

    Conhecida pelo grande público

    Com uma carreira consolidada no teatro e papéis em novelas da Globo, Sonia Braga atingiu de fato o grande público e passou a ser reconhecida com o trabalho em "Vila Sésamo", na qual entre atores e bonecos, dava vida à professora Ana Maria na produção que começou a ser exibida em 1972, mesmo ano em que foi eleita revelação feminina e levou o troféu Helena Silveira para casa

  • Reprodução/TV Globo

    O dia em que subiu no telhado

    Foi em 1975 que Sonia Braga viveu uma de suas personagens mais icônicas: Gabriela, adaptada diretamente do romance "Gabriela, Cravo e Canela", de Jorge Amado. O sucesso foi imediato e a atriz foi alçada ao posto de símbolo sexual, protagonizando uma das cenas mais famosas da teledramaturgia brasileira, em que sobe no telhado para resgatar uma pipa. Quando foi para Portugal, onde a personagem também causou furor, desfilou pelas ruas em carro aberto, cercada por guarda-costas

  • Divulgação

    Coração dividido nas telonas

    Em 1976, Sonia Braga voltou a dar vida a outra trama de Jorge Amado, dessa vez "Dona Flor e Seus Dois Maridos", ao lado de Mauro Mendonça e José Wilker. O filme foi um fenômeno de bilheteria para a época. Em 1983, ela voltou a ser Gabriela, mas agora na versão para o cinema. Em 1996, foi a vez de ser "Tieta"

  • Divulgação/TV Globo

    Música própria

    De volta à TV, depois de "Gabriela", Sonia Braga atuou em "Saramandaia" e ainda em "Espelho Mágico", em cuja trilha sonora havia uma música, "Tigresa" composta por Caetano Veloso para homenagear a atriz, interpretada por Gal Costa

  • Divulgação

    Outra cena para a história

    Sonia Braga foi Júlia Matos em "Dancin' Days". Na trama, a ex-presidiária lutava pelo amor da filha. Depois de um período no exterior, ela retorna de maneira triunfal ao Rio de Janeiro. A atriz foi protagonista de outra cena icônica da dramaturgia ao dar show na pista de dança usando bustiê e sandálias de salto alto com meia de lurex, visual que virou a grande sensação da época

  • Divulgação

    Reconhecimento internacional

    A partir de 1980, após participar de alguns filmes, Sonia decide direcionar sua carreira para o cinema. Com "Eu Te Amo", levou o prêmio de melhor atriz no Festival de Gramado. Porém, o reconhecimento veio mesmo com "O Beijo da Mulher Aranha", em 1985, em que contracenou com William Hurt e Raul Julia, recebendo a indicação ao Globo de Ouro e ao BAFTA como melhor atriz coadjuvante. Na mesma época, ela resolveu ir para os EUA, obtendo a cidadania americana em 2003

  • Reprodução/Blog Expirados

    Mais indicações

    Sonia Braga, que foi novamente indicada ao Globo de Ouro em 1988 como melhor atriz coadjuvante por sua atuação no filme "Luar Sobre Parador", em que atuou ao lado de Raul Julia e Richard Dreyfuss. Em 1994, em mais um filme ao lado de Raul Julia, que foi Chico Mendes em "Amazônia em Chamas", Sonia, que interpretou a última companheira do seringueiro, foi indicada ao Globo de Ouro e ao Emmy Awards como melhor atriz coadjuvante

  • Divulgação

    Série de sucessos

    Em 2001, Sonia Braga agradou no papel da lésbica Maria, que mostrou para uma das personagens principais de "Sex and The City", Samantha Jones, os prazeres e desafios de um relacionamento entre mulheres, até que, depois de muito sexo e discussão, elas se separam. A atriz também esteve em outras séries, como "The Cosby Show", "American Family", "Law & Order", "CSI: Miami", "Alias", "Ghost Whisperer" e "Brothers and Sisters"

  • Mario Anzuoni/Reuters

    Selinho em Caetano

    Em 2012, Caetano Veloso foi o homenageado da 13ª edição do Grammy Latino. Durante a cerimônia, o compositor de "Tigresa" deu um selinho em Sonia Braga

  • REUTERS/Yves Herman

    Protestos políticos

    Em 2016, em Cannes, Sonia apareceu, ao lado dos companheiros de elenco do filme "Aquarius", em um protesto contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. As placas levantadas por eles traziam dizeres como: "Aconteceu um golpe no Brasil". No mesmo ano, a atriz escreveu uma carta aberta ao então Ministro da Cultura, Marcelo Calero, em resposta a declarações feitas por ele ao programa "Preto no Branco", na TV Brasil: "O senhor está nesse cargo para dialogar, para nos ajudar, para fazer a ponte com quem nos explora"

Listas