Topo

Minerato estreia na Sapucaí e busca redenção após ser afastada da Gaviões

do UOL

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

2019-02-19T04:00:00

19/02/2019 04h00

Tati Minerato é um rosto muito conhecido do Carnaval de São Paulo, mas em 2019 ela trocará o Anhembi pela Sapucaí. Rainha de bateria da Gaviões da Fiel durante nove anos, ela desfilará pela primeira vez no Rio de Janeiro em busca de redenção, após ser afastada da escola de samba que a consagrou no sambódromo paulistano.

Tati Minerato chegou a receber convites para desfilar em 2018, mas ainda estava sensibilizada pela expulsão da Gaviões. Três meses depois, entrou para o reality "Power Couple" e tornou-se campeã ao lado do então noivo, Marcelo Galactico.

A vitória no "Power Couple" mudou a vida de Minerato, mas não da forma como ela pensou. O casamento, selado em julho, terminou três meses depois. Metade do prêmio do reality foi para o agora ex-marido. E, até o Réveillon, Tati só pensava em como iria curtir o Carnaval pela primeira vez fora da avenida.

Após a virada de ano, entretanto, um convite mudou a rotina de Minerato. Ela foi chamada para ser musa da Vila Isabel, mesma escola de Sabrina Sato, ex-colega de Gaviões. Tati retomou a dieta, intensificou os exercícios e caprichou no crossfit e na musculação para garantir o corpão para a estreia na Sapucaí.

"Vou vir na frente do carro abre-alas. Abrirei a escola. No primeiro ensaio, fui recebida de braços abertos pela comunidade e pela diretoria. Só de estar ali e ter aquela proximidade e amizade com a Sabrina, me sinto em casa, mais tranquila e feliz", comemora.

Iwi Onodera/UOL
Tati Minerato, musa da Unidos de Vila Isabel, posa na Escadaria das Bailarinas, na zona oeste de São Paulo Imagem: Iwi Onodera/UOL

Carnaval é "briga por vaidade"

A saída traumática ainda repercute na memória de Minerato, que leva seu amor pela escola nas costas --tem um gavião e o escudo do Corinthians tatuados. Durante um ensaio técnico, em janeiro de 2018, a musa saiu no tapa com Renatta Teruel, ex-imperatriz da bateria. Um ano depois, Tati reflete sobre a guerra de egos que, segundo ela, provocou a briga no Anhembi.

"Nunca fomos amigas. As coisas já aconteciam antes, mas isso foi em um ensaio técnico, onde havia muitas pessoas e câmeras. Isso ocorre em todas as quadras de escolas de samba. É uma briga por ego, por vaidade. Eu estava lá havia dez anos no meu posto, tinha respeito da escola, desempenhava meu papel havia muitos anos com todo mundo satisfeito. Mas aí ela quis ser mais, não respeitou a hierarquia, não me respeitou, não respeitou o meu cargo. Ela simplesmente passou por cima de tudo", desabafa Minerato ao UOL.

Curiosamente, as duas protagonistas da briga no ensaio da Gaviões desfilarão neste ano no Rio de Janeiro. Tati, pela Unidos de Vila Isabel. Renatta, pela Unidos de Padre Miguel. Tão perto e, ao mesmo tempo, tão longe: Minerato está no Grupo Principal e desfilará no dia 4. Teruel, na Série A (grupo de acesso), irá para a Sapucaí no dia 1º.

Porém, mesmo se estivessem no mesmo dia, Tati não cumprimentaria Teruel: "Não, nem falava antes, que dirá depois".

Mais Carnaval 2019