Topo

Mangueira estreia show em seu barracão nesta quinta-feira

Mangueira apresentará o espetáculo Matrizes - Divulgação
Mangueira apresentará o espetáculo Matrizes Imagem: Divulgação
Anderson Baltar

Anderson Baltar é jornalista, formado pela UFRJ e tem 42 anos. Com mais de 15 anos de experiência na mídia carnavalesca, foi assessor de imprensa da União da Ilha e Império Serrano, produtor de Carnaval da TV Globo e trabalhou em coberturas de desfiles nas rádios Manchete e Tupi. Desde 2011, é âncora e coordenador da Rádio Arquibancada, web rádio com programação inteiramente voltada para o Carnaval. Em 2015, lançou o livro "As Primas Sapecas do Samba", ao lado dos também jornalistas Eugênio Leal e Vicente Dattoli.

do UOL

02/07/2019 18h10

Nesta quinta-feira (4), a Estação Primeira de Mangueira dá início a uma temporada de shows em seu barracão na Cidade do Samba, zona portuária do Rio de Janeiro. Nos próximos dois meses, sempre às quintas-feiras, o espetáculo "Matrizes" será apresentado.

Com uma hora e dez de duração, conta com a direção geral do carnavalesco da escola, Leandro Vieira e se propõe a mostrar as raízes do samba, desde as origens mais fundamentais da cultura negra, como o jongo e a capoeira, e culminando com a história da agremiação.

"Esse show nasceu do orgulho que a Mangueira tem de sua origem. Somos uma escola de morro, mas que tem papel importante na vida da cidade e temos a obrigação de louvar as nossas matrizes culturais. E, assim, resolvemos abrir o barracão e convidar a cidade a conhecê-lo e ocupar", explica o artista, que não vê problemas em fazer um espetáculo em um lugar onde geralmente o público não está acostumado a acessar.

"Caso o show prossiga temporada, já temos esquematizado como isolar as alegorias e manter o segredo da preparação de nosso desfile", afirma.

Cenas do espetáculo Matrizes, que será apresentado no barracão da Mangueira - Divulgação
Cenas do espetáculo Matrizes, que será apresentado no barracão da Mangueira
Imagem: Divulgação

O espetáculo, que teve pré-estreia na última sexta-feira (28) apenas para convidados, surgiu de uma inquietação do presidente da escola, Elias Riche, que está no cargo desde abril. Riche observou que, com a diminuição do número de carros alegóricos no desfile, o barracão passou a ter um espaço ocioso, que poderia ser explorado de outras formas.

"A Cidade do Samba é um espaço maravilhoso, mas pouco frequentado pelo carioca e pelo turista. Esperamos que consigamos estabelecer o espetáculo e inspirar as co-irmãs a fazerem o mesmo. O samba só tem a ganhar", acredita o presidente.

Para colocar o espetáculo em cartaz em tempo recorde - menos de um mês e meio - Leandro Vieira valeu-se de um time identificado com a verde e rosa. A direção musical está nas mãos de Alemão do Cavaco, compositor da escola. Já a parte de dança ficou a cargo dos coreógrafos da comissão de frente, Rodrigo Negri e Priscilla Mota e de Ana Paula Lessa, que cuida dos ensaios do primeiro casal de mestre-sala e porta bandeira, Matheus Olivério e Squel.

Priscilla destaca que o pouco tempo de preparação não foi empecilho e que o empenho dos 35 participantes fez a diferença: "Trouxemos dançarinos da própria comunidade, como passistas e baianas e todos se dedicaram com muito profissionalismo. A maioria sequer havia se apresentado em um palco e todos se superaram".

Ana Paula faz coro e destaca todo o trabalho de pesquisa que foi desempenhado. "Eles dançam outros ritmos que não o samba e procuramos fazer um trabalho bastante fiel. E conseguimos", comemora.

Mesmo satisfeito com o show de sexta-feira, Negri promete mais novidades para as próximas apresentações: "Certamente iremos incluir novidades. Ainda vamos afinar ainda mais o elenco".

Os ingressos para o show de estreia, que contará com a participação especial da cantora Alcione, está à venda pelo site da Sympla.

Mais Entretenimento