PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Ações europeias fecham em máxima recorde com fortes dados alemães e balanços

07/05/2021 13h34

Por Sruthi Shankar e Ambar Warrick

(Reuters) - As ações europeias fecharam em máxima recorde nesta sexta-feira, marcando fortes ganhos semanais com dados econômicos positivos e balanços corporativos otimistas sustentando esperanças de uma rápida recuperação econômica da pandemia de Covid-19.

O índice pan-europeu STOXX 600 subiu 0,9%, para uma máxima histórica de 444,93 pontos. O índice acumulou ganho de 1,7% na semana, melhor desempenho desde meados de março.

As ações globais cravaram novos recordes nesta sexta, à medida que investidores reduziam expectativas de corte de estímulos pelo Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano), depois de dados mostrarem que o mercado de trabalho dos EUA tem um longo caminho para se recuperar da pandemia.

As ações europeias do setor de tecnologia tiveram o melhor desempenho no dia, em alta de 2,2%, recuperando-se da liquidação do começo da semana, no acumulado da qual o setor ficou praticamente estável.

O índice de empresas ligadas a recursos básicos teve o melhor desempenho semanal, com ganho de 7,2% e na máxima em mais de uma década, uma vez que o otimismo sobre a recuperação da demanda global elevou os preços de metais básicos e do minério de ferro.

Dados mostraram que as empresas alemãs aumentaram suas exportações pelo 11º mês consecutivo em março, com um crescimento de 1,2%, o dobro da taxa projetada por economistas.

Da safra de balanços, a companhia alemã de roupas esportivas Adidas subiu 8,4%, depois de aumentar suas perspectivas de vendas para 2021.

As ações da joalheria Pandora ganharam 3,0%, após a empresa reportar crescimento de 214% nas vendas em abril.

"Serão dois trimestres excepcionalmente fortes à frente, e isso torna muito improvável que o mercado sofra muito nos próximos seis meses", disse Andrea Cicione, chefe de estratégia da TS Lombard.

Mas no momento em que o crescimento começar a desacelerar, provavelmente na mesma hora em que o Fed começar a tirar alguma liquidez, os mercados ficarão mais vulneráveis, disse Cicione.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,76%, a 7.129,71 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 1,34%, a 15.399,65 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,45%, a 6.385,51 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,48%, a 24.612,04 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,86%, a 9.059,20 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 1,13%, a 5.149,22 pontos.

Notícias