PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Com Saúde beirando colapso, empresários pedem fim do lockdown no DF

Manifestação contra Lockdown acontece em Brasília (DF), em frente ao Palácio do Buriti, sede do governo distrital - CLÁUDIO MARQUES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Manifestação contra Lockdown acontece em Brasília (DF), em frente ao Palácio do Buriti, sede do governo distrital Imagem: CLÁUDIO MARQUES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
do UOL

Do UOL, em São Paulo

01/03/2021 13h48Atualizada em 01/03/2021 16h26

Pelo segundo dia consecutivo, empresários se reuniram para manifestar no Distrito Federal, em Brasília, contra as medidas restritivas para evitar a disseminação da covid-19. No início da manhã desta segunda-feira (1º), houve uma aglomeração de pessoas em frente ao Palácio do Buriti.

Com máscaras usadas de forma errada e cartazes com dizeres que falavam sobre o "luto do comércio", os empresários pediam o fim do lockdown na região. As medidas foram adotadas na capital do país após o sistema de Saúde local beirar o colapso pela alta de casos da covid-19.

Junto aos empresários, motoristas de transporte escolar estiveram presentes no ato. O grupo é contra o fechamento dos colégios em Brasília.

Em um vídeo que está circulando nas redes sociais é possível ver manifestantes vestindo camisas verdes e amarelas, com bandeiras do Brasil, acionando vuvuzelas diante do Palácio do Buriti. Diante de centenas de manifestantes, pequenos grupos aparecem nas imagens sem máscaras.

Ontem, um grupo de manifestantes se reuniu em frente à casa do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), para protestar contra o lockdown. Uma das faixas dizia: "Não suportamos outro lockdown".

O decreto assinado pelo chefe do Executivo estadual na sexta-feira (26) suspendeu o funcionamento de estabelecimentos comerciais e atividades consideradas não essenciais a partir do domingo (28).

O Distrito Federal é um dos estados que adotaram as medidas de restrição para o comércio. O movimento é uma reação ao aumento da ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em várias regiões, em um momento em que a vacinação ainda não chegou para grande parte da população.

Notícias