PUBLICIDADE
Topo

Justiça do RJ manda Olavo apagar fake news que ligam Jean Wyllys a Adélio

O filósofo Olavo de Carvalho é alvo de ação na Justiça por postagens contra Jean Wyllys - Joshua Roberts/Reuters
O filósofo Olavo de Carvalho é alvo de ação na Justiça por postagens contra Jean Wyllys Imagem: Joshua Roberts/Reuters
do UOL

Do UOL, em São Paulo

02/06/2020 18h11

A Justiça do Rio de Janeiro determinou hoje que Olavo de Carvalho apague, em até 48 horas, postagens em redes sociais com fake news que ligam o ex-deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) ao autor do atentado a faca contra o então candidato presidencial Jair Bolsonaro, em setembro de 2018.

A decisão foi assinada pela juíza Adriana Sucena Monteiro Jara Moura, titular da 16ª Vara Cível da capital. A magistrada considerou que, apesar de Olavo atualmente morar nos EUA, está sujeito a ações porque declara domicílio no Rio de Janeiro.

"Cabe frisar que não há qualquer indício revelado nos inquéritos da Polícia Federal de envolvimento, ligação, entre o autor (da ação, Jean Wyllys) e Adélio Bispo, autor do atentado contra o Presidente da República", disse Adriana.

A juíza também afirmou que as investigações da PF "não identificaram qualquer mandante para o crime cometido por Adélio Bispo".

Em caso de descumprimento da decisão judicial, Adriana estipulou uma multa diária de R$ 10 mil a Olavo de Carvalho. O ex-deputado do PSOL já havia conseguido outras liminares para remover conteúdos com fake news em perfis de deputados e apoiadores bolsonaristas ontem. As ações correm em locais diferentes no Rio de Janeiro.

Notícias