PUBLICIDADE
Topo

Viagem a Goiás e críticas no Twitter: como foi o sábado de Jair Bolsonaro

do UOL

Do UOL, em São Paulo

30/05/2020 19h04

O dia do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teve postagem de críticas às instituições brasileiras no Twitter e uma viagem ao estado de Goiás, onde provocou aglomerações e interagiu com apoiadores sem usar máscara.

Lanchonete e foto com criança

Pela manhã, o presidente viajou de helicóptero até a cidade de Abadiânia (GO), município próximo a Brasília. Ele estava acompanhado por aliados, incluindo o deputado major Vitor Hugo (PSL-GO), líder do governo na Câmara, e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

Bolsonaro conversou com pessoas nas ruas, parou para tirar fotos e comeu numa lanchonete. Não utilizou máscara ao cumprimentar apoiadores e chegou a carregar uma criança que pediu para tirar uma foto com ele.

O presidente tem desrespeitado a orientação de autoridades de saúde contra aglomerações para evitar a transmissão do novo coronavírus, assim como o uso contínuo de máscara.

Operação de combate ao tráfico

Em sua página no Facebook, Bolsonaro também publicou um vídeo em que visita, na manhã de hoje, o Comando de Operações Especiais do Exército de Goiânia. Na imagem, o presidente aparece sem máscara e vestindo um boné, pouco antes de entrar em um dos carros oficiais da Presidência.

Bolsonaro também encontrou-se com policiais rodoviários federais em uma operação de combate ao tráfico de drogas em rodovias federais. Assim como nas agendas anteriores, o presidente se deixou fotografar sem máscara conversando com os agentes, que também não usavam a proteção. O encontro foi divulgado no perfil da PRF (Polícia Rodoviária Federal) no Twitter.

Críticas nas redes sociais

O presidente voltou a publicar hoje em suas redes sociais um vídeo com trecho de discurso do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes, no qual o ministro fala sobre a liberdade. Bolsonaro vem criticando Moraes desde a realização de uma operação policial que teve como alvo parte de seus apoiadores na última quarta-feira, dizendo que o ato feria a "liberdade de expressão".

A operação foi deflagrada no chamado inquérito das fake news, comandado por Moraes no STF, para apurar ataques e ofensas aos ministros da corte, como o financiamento à propagação de notícias falsas.

No final da tarde de sábado, o presidente escreveu em suas redes sociais que "tudo aponta para uma crise", ao listar uma análise do noticiário da imprensa sobre os movimentos do Judiciário e do TCU (Tribunal de Contas da União) sobre seu governo.

"Primeiras páginas dos jornais abordaram com diferentes destaques, as decisões envolvendo a atuação do Supremo Tribunal Federal, da Polícia Federal, do Tribunal de Contas da União e do Tribunal Superior Eleitoral em relação ao governo Bolsonaro e seus aliados", diz a mensagem postada pelo presidente.

Notícias