PUBLICIDADE
Topo

Brasil passa França em mortes e registra maior número de casos em 24h

30.mai.2020 - Corpo de vítima do coronavírus é sepultado no Cemitério Municipal Recanto da Paz, em Breves, Ilha de Marajó, no Pará - Tarso Sarraf/Estadão Conteúdo
30.mai.2020 - Corpo de vítima do coronavírus é sepultado no Cemitério Municipal Recanto da Paz, em Breves, Ilha de Marajó, no Pará Imagem: Tarso Sarraf/Estadão Conteúdo
do UOL

Do UOL, em São Paulo

30/05/2020 19h18Atualizada em 31/05/2020 11h20

Com 956 mortes confirmadas entre ontem e hoje, o Brasil chegou a 28.834 óbitos pelo novo coronavírus e tornou-se o quarto país com maior número absoluto de vítimas pela doença em todo o mundo, ultrapassando a França (28.717 óbitos, segundo balanço da Universidade Johns Hopkins). Agora, o país fica atrás apenas de Estados Unidos (103.685), Reino Unido (38.458) e Itália (33.340) em número de mortes pela covid-19.

Segundo as últimas atualizações do Ministério da Saúde, o Brasil registrou 33.274 novos diagnósticos de covid-19 nas últimas 24 horas e agora soma 498.440 casos confirmados. É o maior balanço diário já verificado no país, superando o recorde de ontem (26.928). O número de recuperados é de 200.892. O país também tem 3.862 mortes em investigação.

Ceará ultrapassa Amazonas

Fortaleza - João Dijorge/Photopress/Estadão Conteúdo - João Dijorge/Photopress/Estadão Conteúdo
24.mai.2020 - Agentes de trânsito montam bloqueio na Av. Santos Dumont, no acesso à Praia do Futuro, em Fortaleza (CE)
Imagem: João Dijorge/Photopress/Estadão Conteúdo

O estado que mais contribuiu para o recorde do Brasil foi o Ceará, que registrou 8.111 casos nas últimas 24 horas e chegou a 46.506, ultrapassando o Amazonas (40.560). Agora, o estado fica atrás apenas de São Paulo (107.142) e Rio de Janeiro (52.420) na contagem.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, foram 5.586 novos casos confirmados no estado de São Paulo de ontem para hoje.

Quanto às mortes, no entanto, SP segue na liderança, com 7.532 óbitos. Rio de Janeiro (5.277), Ceará (2.956), Pará (2.900) e Pernambuco (2.740) vêm logo em seguida.

Entenda como é feita a contagem da Saúde

A confirmação de óbitos e diagnósticos apresentada pelo governo entre um dia e outro não necessariamente ocorreu nas últimas 24 horas.

O Ministério da Saúde explica que a fila de testes provoca atrasos nos registros feitos pelas secretarias. Com isso, muitas das ocorrências podem ser de outras datas.

O UOL já identificou atrasos de mais de 50 dias para a oficialização de mortes.

Notícias