PUBLICIDADE
Topo

Mandetta defende 'diálogo' com milicianos e traficantes contra coronavírus

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta - ADRIANO MACHADO
Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta Imagem: ADRIANO MACHADO

Em Brasília

08/04/2020 22h15

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, admitiu ontem que para combater a epidemia de coronavírus nas favelas será preciso "dialogar" com narcotraficantes e milicianos, que controlam diversas regiões nas grandes cidades brasileiras.

"Você tem que entender a cultura, a dinâmica. Ali a gente tem que entender que são áreas que muitas vezes o estado está ausente, que quem manda é o tráfico, quem manda é a milícia", admitiu Mandetta em entrevista coletiva.

"Como é que a gente constrói essa ponte em nome da vida e da saúde? Dialoga sim, com o tráfico, com a milícia, porque eles também são seres humanos e eles também precisam colaborar, ajudar, participar".

"Hoje nós começamos o primeiro plano de manejo. Eu não vou falar em qual comunidade, mas começamos o primeiro para fazer um teste, um teste piloto", revelou o ministro.

Segundo o Censo de 2010, ao menos 11,5 milhões de brasileiros vivem em comunidades carentes nas grandes cidades do país.

Na zona urbana do Rio de Janeiro, uma a cada quatro pessoas (1,5 milhão) residem em favelas, palco frequente de confrontos armados entre traficantes, paramilitares e policiais.

Notícias