PUBLICIDADE
Topo

Fiat Strada deve ser lançada entre junho e julho por conta de coronavírus

Fiat Strada 2021 - Divulgação
Fiat Strada 2021 Imagem: Divulgação
do UOL

Rodrigo Mora

Colaboração para o UOL

31/03/2020 18h51

O presidente Antonio Filosa falou hoje sobre a mudança de planos nos próximos lançamentos da FCA por conta da pandemia de coronavírus. O executivo confirmou que a nova Fiat Strada e os SUVs inéditos de Fiat e Jeep ainda devem ser apresentados em 2020, mas não quis cravar a data exata.

"Vamos lançar (a Strada) esse ano. Estamos imaginando algo lá por junho ou julho, aí vamos entender se o momento certo chegou", avaliou Filosa ao UOL Carros.

Isso porque os aguardados impactos econômicos decorrentes da crise não vão alterar o plano de investimentos da empresa, apenas adiar sua conclusão.

"Em alguns projetos, teremos postergações. Então, se nosso ciclo de novos produtos ia de 2018 a 2024, agora ele será concluído em 2025. A fábrica de motores que estamos construindo em Betim está 60% pronta, mas agora ficou para o começo do ano que vem", disse o executivo.

"Os novos SUVs de Fiat e Jeep virão, mas agora estamos entendendo qual ser o melhor momento para lança-los. Idem para as renovações de gama, que abrangem inovações em transmissões e motores. Algumas coisas vão atrasar dois ou três meses; outras, seis meses", concluiu.

Quanto ao mercado, o executivo afirmou que é difícil fazer previsões ainda, mas que seu palpite é uma queda de 40% nas vendas de 2020 em relação a 2019.

"Vínhamos bem, projetando crescimento de 8%. Mas o mercado caiu 90% na segunda semana de março. Na Argentina, 100%. Os mais otimistas falam em 35% (de queda ao fim do ano), mas não dá para fugir disso. Será um ano de sacrifícios e muito trabalho", disse.

Filosa ainda disse que não pretende colocar em layoff trabalhadores das plantas de Betim (MG) e Goiana (PE). "É impossível afirmar com certeza, mas garanto que demitir será a última das últimas medidas. Até por uma razão simples: fazemos um investimento técnico em nossos colaboradores, com treinamentos e capacitações. Então não vale a pena dispensá-los. Perdemos duas vezes, porque teremos que contratar novo pessoal e trainá-los novamente", tranquilizou.

A FCA pretende retomar as atividades no próximo dia 21, "se caso houver as condições ideias e for permitido pelas autoridades".

Notícias