Topo

Colmeia digital é nova tática para salvar polinizadores

Hanna Hoikkala

22/10/2019 11h00

(Bloomberg) -- Uma colmeia digital pode ser a próxima estratégia para ajudar a entender a queda acelerada na população de abelhas e outros insetos polinizadores.

A consultoria de software Tieto Oyj instalou sensores em duas colmeias na Suécia, conectando cerca de 80.000 abelhas em cada unidade à internet. As colmeias enviam dados para servidores externos que podem ser acessados remotamente em tempo real. Em breve, algoritmos de inteligência artificial serão usados para analisar as informações.

Empregando essa tecnologia, a Tieto espera ser capaz de monitorar melhor o número de abelhas, a viabilidade das comunidades e a quantidade de mel produzido. Isso contribui para pesquisas e preservação da biodiversidade, disse Mikael Ekstrom, apicultor e consultor de digitalização da Tieto. Segundo ele, o projeto também ressalta os benefícios de uma sociedade digitalizada.

O número de abelhas mortas aumenta a cada ano devido a pesticidas, destruição de habitats, alimentação inadequada e mudanças climáticas. As consequências disso são potencialmente desastrosas para a agricultura e a diversidade na natureza.

Os seres humanos "precisam olhar o que acontece dentro das colmeias e entender melhor por que estão diminuindo e como podemos ajudar", afirmou ele em resposta a perguntas enviadas por e-mail. "A tecnologia moderna da Internet das Coisas, inteligência artificial, serviços em nuvem e outros agora nos proporcionam ferramentas para coletar e executar nessas áreas."

A Tieto trabalha em colaboração com o laboratório HSB Living Lab e as duas colmeias conectadas estão localizadas nas cidades de Gotemburgo e Kalmar. Embora o projeto seja pequeno em escala, Ekstrom revelou que a Tieto está em discussões com a Associação de Apicultores da Suécia para implementá-lo em nível nacional.

"A rápida evolução tecnológica está trabalhando a nosso favor", acrescentou ele.

Notícias