PUBLICIDADE
Topo

BID aprova Guaidó na Venezuela e mostra interesse em "trabalhar" com ele

23/01/2019 23h04

Washington, 23 jan (EFE).- O presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o colombiano Luis Alberto Moreno, expressou nesta quarta-feira o interesse desta instituição com sede em Washington em "trabalhar" com o autoproclamado presidente em exercício da Venezuela, Juan Guaidó.

"O BID manifesta sua vontade de trabalhar com o presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, para assegurar a continuidade do nosso apoio ao desenvolvimento do povo venezuelano", escreveu Moreno no Twitter.

O BID suspendeu em maio do ano passado os empréstimos à Venezuela por descumprir pagamentos atrasados de US$ 88,3 milhões.

Como consequência desse descumprimento, "sob as normas do BID sobre pagamentos em moratória, o Banco não pode realizar nenhuma atividade de empréstimo com a Venezuela até que salde sua dívida", disse então em comunicado.

Nesse momento, a dívida total de empréstimos do país com a instituição financeira regional era de US$ 2,011 bilhões, deles US$ 212,4 milhões em moratória, embora só uma parcela tenha superado o limite de atraso de 180 dias.

Guaidó se autoproclamou hoje presidente interino da Venezuela ao considerar ilegítima a posse para um segundo mandato do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, no último dia 10 de janeiro.

O governo de Donald Trump, assim como vários países da região como Brasil, Colômbia, Chile, Argentina e Canadá reconheceram Guaidó como presidente em exercício.

O BID é a principal fonte de financiamento para o desenvolvimento da América Latina e do Caribe da qual os Estados Unidos são membros fundadores e sua contribuição equivale a 30% de seu capital. EFE

Notícias