PUBLICIDADE
Topo

Será que está chovendo mais neste ano ou é impressão sua?

Colaboração para o BOL

04/03/2019 10h12

As chuvas intensas das últimas semanas têm feito muita gente dizer que nunca choveu tanto neste país. Mas será verdade ou apenas nos esquecemos do que aconteceu nos outros anos? Vamos conferir as informações de 2019 e dos dez anos anteriores. Os dados foram analisados a partir de mapas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - Geológico do Brasil.

  • Arte sobre reprodução/Serviço Geológico do Brasil

    Histórico

    Este mapa mostra a média de chuvas acumuladas no mês de fevereiro entre os anos de 1977 e 2006, servindo como referência histórica para os últimos dez anos. Na média histórica, a região Norte recebe de 250 mm a 350 mm em fevereiro. O norte do Amapá é tipicamente mais chuvoso, ultrapassando os 500 mm, enquanto o leste de Roraima é geralmente seco, com menos de 50 mm de chuva no mês. No Pará, ao sul de Belém e da ilha de Marajó, também há muita chuva, ficando na faixa de 475 mm a 500 mm. Na região Centro-Oeste, o estado do Mato Grosso segue as médias da região Norte; Mato Grosso do Sul e Goiás têm, em geral, cerca de 150 mm de chuvas. A região Sudeste, excluindo Minas Gerais, também fica na média de 150 mm de chuvas. Minas, a partir da região do Jequitinhonha, se aproxima das características da região Nordeste, com um índice pluviométrico consideravelmente menor. Ali, e na maior parte da Bahia, historicamente chove de 25 mm a 75 mm durante o mês. Do norte da Bahia até a Paraíba, há uma faixa ainda mais seca, onde a média de chuvas fica abaixo de 25 mm em fevereiro. A região Sul varia de 100 mm a 150 mm

  • Reprodução/CPTEC/Inpe

    2009

    Fevereiro foi um mês de muita água apenas no norte dos estados do Pará e Amapá, onde os marcadores ultrapassaram a marca de 600 mm acumulados. Em geral, a região Norte recebeu uma boa quantidade de chuvas, variando entre 250 mm e 500 mm. Sul, Centro-Oeste e Nordeste ficaram na faixa de 100 mm a 300 mm, com exceção do norte de Minas Gerais e sul da Bahia, que tiveram menos de 25 mm de chuva no mês

  • Reprodução/CPTEC/Inpe

    2010

    Em fevereiro de 2010, todo o Nordeste e Sudeste receberam pouca chuva. Parte da Bahia, Ceará e Rio Grande do Norte tiveram menos de 25 mm de água acumulada. No restante da região, a média ficou entre 100 mm e 150 mm de chuva. A região Sul recebeu de 100 mm a 250 mm, e a região Norte variou entre 150 mm e 400 mm de chuva. Mato Grosso foi o estado em que mais chouveu em fevereiro de 2010, com uma área se aproximando dos 600 mm

  • Reprodução/CPTEC/Inpe

    2011

    O mês de fevereiro teve chuvas intensas no sul e oeste do Pará, além de alguns pontos no Mato Grosso, Tocantins, Maranhão, Amapá e Amazonas. A cidade de Novo Progresso (PA) e o norte do Amapá tiveram as maiores ocorrências de chuvas, chegando a 600 mm acumulados. Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Alagoas, Sergipe e Pernambuco receberam pouca água, acumulando de 2mm a 100 mm de chuva. Outras regiões do país variaram entre 150 mm e 300 mm de chuva

  • Reprodução/CPTEC/Inpe

    2012

    A faixa litorânea, do Rio Grande do Sul ao Piauí, acrescentando o Mato Grosso do Sul, teve um mês seco em fevereiro, quando as chuvas acumuladas não passaram de 150 mm, com exceção de um pequeno trecho entre o Paraná e São Paulo, onde choveu em torno de 300 mm. A região Norte recebeu entre 200 mm e 500 mm de chuva naquele ano, menos Roraima, que ficou na mesma média da faixa litorânea

  • Reprodução/CPTEC/Inpe

    2013

    Fevereiro foi seco em quase todo o país em 2013. O norte do Paraná fugiu à regra com precipitação acumulada de 350 mm a 400 mm. A área central do Amazonas, norte do Mato Grosso, sul de Rondônia e parte do Amapá também ficaram nessa média. O restante do país teve de pontos de seca, como no norte da Bahia, a até 150 mm de chuva

  • Reprodução/CPTEC/Inpe

    2014

    Outro ano muito seco em fevereiro foi 2014. Praticamente todo o Nordeste, Sudeste e Sul do país receberam menos de 100 mm de chuva. Mato Grosso, Pará e Amazonas foram os que receberam mais chuva, com algumas áreas em torno de 400 mm e maior parte entre 150 mm e 350 mm

  • Reprodução/CPTEC/Inpe

    2015

    O ano de 2015 foi nitidamente mais seco que os posteriores, com o país dividido em áreas com acúmulo de chuva entre 100 mm e 250 mm e outras, especialmente na região Nordeste, em que o acúmulo ficou entre 2 mm e 50 mm. Esta região foi afetada em 2015 pela pior seca dos 50 anos anteriores. Em nenhum ponto do país houve mais de 500 mm de chuva durante o mês de fevereiro daquele ano

  • Reprodução/CPTEC/Inpe

    2016

    O mês de fevereiro foi de seca em quase todo o Nordeste, mais o norte de Minas Gerais e parte do Tocantins. Nesses pontos, a média de chuva acumulada ficou entre 2 mm e 25 mm. Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Roraima e Goiás também tiveram pontos de pouca água acumulada. O Amazonas ficou na média, concentrando cerca de 300 mm de chuva. Os pontos com maior acúmulo de água ficaram no sul do estado de São Paulo, na divisa com o Paraná, e na ilha de Marajó, no Pará, que tiveram cerca de 400 mm de chuva

  • Reprodução/CPTEC/Inpe

    2017

    Em fevereiro de 2017, a maior parte do país recebeu entre 100 mm e 300 mm de chuva. A região Sudeste ficou um pouco abaixo dessa média, acumulando em torno de 50 mm a 100 mm de água no mês. Os estados de Sergipe, Pernambuco e Paraíba, além da parte oriental de Roraima, foram os menos afetados pela chuva naquele ano, acumulando apenas de 2mm a 25 mm, incluindo pontos onde a precipitação não passou de 2 mm. Por outro lado, o leste do Pará teve uma área em que chouveu mais de 600 miliímetros durante o mês

  • Reprodução/CPTEC/Inpe

    2018

    Algumas áreas do Pará e do Mato Grosso receberam 600 mm de chuva durante o mês de fevereiro. O Sul e o Sudeste, em média, tiveram acúmulo de até 50 mm de chuva, enquanto a região Norte teve áreas de 150 mm a 350 mm. No norte da Bahia e em Roraima, houve pontos em que a água não chegou a 25 mm durante todo o mês. Historicamente, Roraima é um estado que recebe pouca chuva no verão e muita no inverno. Sua média é de 2.000 mm de água anuais

  • Reprodução/CPTEC/Inpe

    2019

    Pontos isolados da região Norte atingiram 500 mm de chuva em fevereiro de 2019. Para efeito de comparação, se você tivesse um aquário de 1m x 1m no quintal num desses locais, a água acumulada teria enchido metade do reservatório durante todo o mês de fevereiro. Na maior parte do país, o volume de água ficou entre 200 mm e 350 mm. No litoral do Nordeste e parte de Roraima, o total ficou entre 2 mm e 25 mm de chuva durante todo o mês. Resumindo: 2019 foi o mais chuvoso no país dos últimos dez anos

Listas