Topo

18 esportes perigosos que podem ser considerados super-hiper-extra-radicais

Colaboração para o BOL

06/01/2019 14h00

Aventurar-se em esportes radicais pode chegar a níveis extremos. Na busca pela adrenalina, algumas modalidades se destacam pelos riscos proporcionados aos praticantes. Nesta lista separamos 15 esportes radicais muito perigosos.

Leia também:

  • Reprodução/PxHere

    Alpinismo

    A prática esportiva do alpinismo acontece em montanhas acima de 2.500 metros de altitude. O alpinista deve se preparar bastante e ter ótimas condições físicas para suportar o esforço da subida. É necessário equipamento de montanha apropriado para conseguir chegar ao alto com sucesso. É um esporte radical porque, em grandes altitudes, o corpo humano pode reagir de várias formas, provocando até mesmo dificuldades respiratórias. Quando praticado na neve, o perigo é ainda maior

  • Reprodução/Christian Pondella/Red Bull Content Pool

    Base jumping

    Esporte que envolve saltos de locais altos, como topo de prédios e penhascos. A sigla BASE significa Building (Prédio), Antenna (Antena), Span (Ponte), Earth (Terra). Para garantir a segurança do praticante é exigido um paraquedas. No entanto, acaba por ser um esporte com altas taxas de mortalidade, sendo proibido em diversos países

  • Reprodução/YouTube

    Big wave surfing

    Eleve o surfe tradicional a níveis extremos. Esse é o big wave surfing, ou no bom português, surfando em ondas gigantes. O surfista é levado até a onda enorme por um jet-ski ou por um helicóptero, se preparando para encarar ondas tão grandes e perigosas que podem custar até mesmo a própria vida

  • Reprodução/Rob Kepley/Climbing.com

    Boulder

    Esse é um tipo de escalada que se diferencia por não ter o uso de cordas ou outros equipamentos de segurança. Exige do praticante muita força física, já que toda a escalada é feita com base na força dos braços e pernas. No Brasil, existe uma competição do esporte na cidade de Ouro Preto (MG) chamada Ouroboulder

  • Reprodução/DeeperBlue.com

    Cave diving

    Esta modalidade diz respeito ao mergulho realizado em cavernas subaquáticas. É um esporte perigoso, pois há sério risco do mergulhador se perder ou de não conseguir sair da caverna. É necessário o uso de equipamentos de segurança, principalmente de respiração. Além dos perigos na água, pode haver descompressão no retorno à superfície

  • Reprodução/YouTube

    Freestyle motocross (FMX)

    Modalidade de motocross que envolve saltos em estilo livre. As acrobacias demandam técnica e domínio de quem pratica, pois um erro pode custar caro - não somente pelo preço das motos, mas também pela vida -. Os pilotos têm um determinado período de tempo (entre 90 segundos a 14 minutos) para realizar os movimentos, onde serão avaliados por juízes com notas de 0 a 100. Quanto mais inventivas e diferenciadas forem as acrobacias, maiores as chances de a nota ser alta, mas os riscos também aumentam

  • Reprodução/Burghotel-Lech

    Heli-esqui

    Para praticar esse esporte é preciso muito conhecimento e coragem. O esquiador é levado de helicóptero até a montanha onde irá esquiar. É preciso que a neve esteja bem lisa para evitar acidentes. Não há sinalizações nem outros esquiadores ao mesmo tempo. Pela altura e desconhecimento do terreno, esse esporte pode ser extremamente perigoso

  • Garth Milan/Red Bull Content Pool

    Mountain bike

    O ciclismo de montanha, apesar de comum, é um esporte bem radical. Nele, o ciclista percorre trechos em estradas de terra, montanhas e fazendas, onde muitas vezes nem há uma trilha definida. Desafiador, pode ser bastante perigoso pelo fato do terreno nem sempre ser propício ao trânsito da bicicleta. É preciso equipamento de segurança e uma bicicleta modificada para aguentar o desafio

  • Reprodução/Brasil Cowboy

    Montaria em Touro

    Um dos esportes mais populares em rodeios. O peão tem o objetivo de ficar mais de 8 segundos sobre o touro, que normalmente está furioso. Além da dificuldade do esporte por si só, os riscos de acidentes são enormes: a queda do animal, a chance de ser pisoteado ou até ser perfurado pelos chifres do touro. A estatística diz que 0,25 a cada mil praticantes vem a óbito

  • Reprodução/Conceitos.com/Fotolia

    Paraquedismo

    Saltar de paraquedas é uma atividade bem radical, mas há quem ainda eleve o nível do esporte. No paraquedismo salta-se de um avião em queda livre até abrir o paraquedas para diminuir a velocidade do salto. O perigo é quando o paraquedas não abre, podendo resultar em acidentes mortais

  • Reprodução/VisitaLesund.com

    Rafting

    Esse esporte de aventura acontece na água. Os praticantes, que normalmente são uma equipe com cinco ou mais pessoas, descem uma corredeira em bote inflável com remos e equipamentos de segurança. Há sete níveis do rafting, sendo o um o mais seguro e com menos manobras, e o sete o mais perigoso, pois as ondas e pedras são maiores e qualquer acidente pode levar até mesmo a morte

  • Reprodução/YouTube

    Rope jumping

    Não, não se trata da brincadeira ou exercício de pular corda. Nesse esporte radical, o que vale é saltar amarrado a uma corda de um penhasco. A atividade é similar ao bungee jumping, com a diferença de que a corda não é elástica. Pode ser feito sozinho ou em grupo. É preciso muita coragem e disposição para encarar os saltos

  • Reprodução/Dean Treml/Red Bull Content Pool

    Salto de penhasco

    Uma modalidade perigosa de salto que exige técnica e coragem para quem pratica. Consiste em realizar saltos acrobáticos de penhascos para cair na água. É preciso executar todos os movimentos com precisão para não errar o alvo da queda, nem cair de mau jeito na água. Os praticantes podem chegar até a 100 quilômetros por hora durante um salto

  • Reprodução/YouTube

    Sky surfing

    Nesse esporte, salta-se de um avião em movimento sob uma prancha que está presa aos pés. Também é preciso se equipar com um paraquedas. Enquanto está em queda livre, o praticante faz manobras no ar e só abre o paraquedas poucos momentos antes de chegar ao chão. É perigoso, pois o vento pode colocar a pessoa em posições onde fique difícil abrir o paraquedas

  • Reprodução/YouTube

    Slackline Highline

    Uma versão muito mais perigosa que o slackline tradicional. Se na forma mais comum do esporte vemos os praticantes se equilibrando em cordas em ambientes como praias, parques ou locais urbanos, a modalidade Highline exige que a fita esteja a pelo menos 10 metros de altura. Dessa altura, uma queda pode ser fatal para o praticante

  • Reprodução/YouTube

    Street luge

    Um esporte radical de velocidade envolve sempre muitos perigos, mas poucos são parecidos com o street luge. Nele, o praticante deita em uma prancha (parecida com um grande skate) e desce ladeiras em altas velocidades. Pode-se até ultrapassar os 100 quilômetros por hora

  • Reprodução/OutsideOnline.com

    Wingsuit

    Paraquedistas com mais experiência praticam esse esporte que é uma verdadeira aventura. É preciso usar um macacão com asas para conseguir planar no ar durante a queda livre. Pode-se atingir uma velocidade maior que 100 quilômetros por hora. O perigo é perder o controle e se chocar contra montanhas, árvores ou não conseguir puxar o paraquedas em tempo

  • Reprodução/VirginExperienceDays.co.uk

    Wing walking

    Se você já se imaginou andando nas asas de um avião, saiba que esse é um esporte que existe e ficou muito famoso durante os anos 1920. Consiste em fazer acrobacias em cima das asas de um avião durante o voo. Apesar dos equipamentos de segurança, é preciso muita coragem para embarcar essa aventura

Mais Listas