Topo

13 principais eco-cidades ao redor do mundo

Colaboração para o BOL

2019-02-13T14:00:00

13/02/2019 14h00

Temporais, furacões, incêndios e secas catastróficas. A verdade é incontornável: o modelo de hiperconsumo baseado em petróleo, carne e obsolescência está destruindo o mundo. O planeta passou do ponto de equilíbrio e caminha rumo ao abismo. Mudar a matriz energética e o modelo de desenvolvimento é, portanto, uma medida urgente se a humanidade pretende continuar existindo. Alguns lugares já começaram o trabalho de transição. São as chamadas eco-cidades, lugares com emissão baixíssima de carbono, baseadas em fontes renováveis de energia e consumo consciente. Além das 13 cidades listadas a seguir, que estão se adaptando para os novos tempos, Portugal e Emirados Árabes Unidos já investem na construção de eco-cidades partindo do zero.

  • Reprodução/Smart Energy International

    Bristol, Inglaterra

    Em 2015, a cidade de Bristol aprovou um orçamento de 800 milhões de euros para investir em sua transição verde. Os principais focos da mudança na cidade foram transporte público e fontes de energia renovável, medidas simples e acessíveis. Em cinco anos, o consumo interno de energia caiu quase 20%

  • Reprodução/Nat Geo Traveller India

    Copenhague, Dinamarca

    A transição verde de Copenhague, na Dinamarca, começou em 1995. Desde então a cidade conseguiu reduzir as emissões de carbono pela metade. Os principais fatores que contribuíram para a redução da pegada ecológica da capital dinamarquesa foram um sistema de transporte público de qualidade e um programa gratuito de bicicletas urbanas

  • Reprodução/Inhabitat

    Curitiba, Brasil

    A única grande cidade brasileira a apresentar bons índices de desenvolvimento sustentável é Curitiba, capital do Paraná. Em 2010, a cidade recebeu a distinção de metrópole mais verde da América Latina. São 64,5m² por habitante, 36 espaços urbanos de preservação e forte investimento em educação ambiental e transporte público de qualidade. Não à toa, o ar curitibano é o de melhor qualidade em relação às outras cidades brasileiras de grande porte

  • Reprodução/Silversea

    Estocolmo, Suécia

    Quando o prêmio Capital Verde da Europa foi criado em 2010, Estocolmo foi a primeira cidade a receber o título. Além das medidas de redução da poluição atmosférica e de controle da qualidade da água, Estocolmo chegou até mesmo a atuar em relação à poluição sonora. Praticamente toda a população de Estocolmo vive no máximo a 300 metros de áreas verdes. São 1.000 parques e sete reservas naturais dentro dos limites da cidade

  • Reprodução/Alakai

    Malmo, Suécia

    A cidade de Malmo na Suécia pretende transformar toda sua matriz energética em fontes renováveis até 2030. Com mais de 300 mil habitantes, Malmo tem centrado esforços no replanejamento urbano, na redução dos gases de efeito estufa, otimização dos transportes e reciclagem de resíduos

  • Reprodução/The Independent

    Oslo, Noruega

    Outra Capital Verde da Europa é Oslo, que ganhou o título em 2019. Oslo tem uma das menores pegadas de carbono do mundo, mesmo com uma população de cerca de dois milhões de pessoas

  • Reprodução/Davis Wright Tremaine

    Portland, EUA

    Depois de décadas de desenvolvimento e planejamento centrado em carros, a cidade americana de Portland, no estado do Oregon, estava flertando com a decadência ambiental, social e urbana. Reconhecendo o problema e dispostos a agir a tempo, os cidadãos e o governo de Portland iniciaram um ousado projeto de remodelação da cidade limitando o crescimento urbano, investindo em construções sustentáveis, transporte público de qualidade, reciclagem, compostagem, agricultura comunitária e ampla participação cidadã em tudo. É considerada a cidade mais verde dos Estados Unidos

  • Reprodução/Wake up Reykjavik

    Reykjavik, Islândia

    Se a vida dá limões, faça limonadas. É o que a capital islandesa faz em relação aos seus vulcões. 100% do aquecimento e energia elétrica em Reykjavik vêm de fonte geotérmica. A percentagem no país fica em 25%. Além disso, Reykjavik investe pesadamente no desenvolvimento de seu sistema de transporte público e na preservação de espaços verdes. Não por acaso, a capital da Islândia é considerada a cidade mais verde do mundo

  • Reprodução/Eater SF

    São Francisco, EUA

    Pode não ser fácil reduzir os impactos ambientais de uma grande cidade, mas também não é impossível. Prova disso é a 13ª cidade mais populosa dos EUA, São Francisco. Além espaços verdes, edifícios e padrões energeticamente eficientes, qualidade no transporte público, consumo sustentável de água, políticas de redução de resíduos, contribui para a sustentabilidade de São Francisco uma forte cultura vegetariana e de incentivo à agricultura orgânica

  • Reprodução/Arthur D Little

    Seul, Coreia do Sul

    Segunda cidade mais sustentável da Ásia e intensamente urbanizada, Seul, capital da Coreia do Sul, foca seus esforços no desenvolvimento de transporte público de qualidade, saneamento universal e despoluição dos rios. Também existe em Seul um comitê de "cidadãos verdes" responsável por discutir políticas de conservação e mudança climática

  • Reprodução/Singapore-guide

    Singapura

    Repleta de árvores e com cerca de 10% de suas terras destinadas para parques e reservas naturais, a cidade-estado de Singapura ganhou o apelido de cidade-jardim. Considerada a cidade mais verde e sustentável da Ásia, Singapura abriga a maior instalação de processamento de resíduos alimentares do continente, decompondo matéria orgânica em fertilizantes e energia

  • Reprodução/Vancouver Economic Comission

    Vancouver, Canadá

    Outro exemplo de cidade grande e sustentável é Vancouver, no Canadá. Atualmente a cidade investe na transição integral para fontes de energia renovável e outras medidas para evitar o apocalipse ambiental como construções verdes, transporte elétrico, reaproveitamento e reciclagem total dos resíduos, água limpa e economia verde

  • Reprodução/Zuerich

    Zurique, Suíça

    Construções sustentáveis, investimento em tecnologia e transporte público, campanhas de conscientização da população: nos últimos anos Zurique se comprometeu a reduzir o impacto climático com uma série de investimentos em estrutura e pesquisa. Hoje é considerada uma das principais eco-cidades do mundo. A cidade instituiu que pelo menos 75% de suas necessidades energéticas venham de fontes renováveis

Mais Listas