PUBLICIDADE
Topo

Antes de ser expoente da extrema-direita, Sara Winter tentou vaga no BBB

do UOL

Do UOL, em São Paulo

02/06/2020 09h23

Sara Winter, a ativista que tem frequentado as manchetes por seu envolvimento com o grupo de extrema-direita "Os 300 do Brasil" e sua investigação no inquérito das fake news, já quis "mudar o 'BBB' por dentro" com os ideais feministas que costumava defender.

Em seu vídeo de inscrição para a 14ª edição do reality da Globo, ela apareceu nua, com uma placa que dizia "censurado" colada nos seios. Sara pichava um símbolo feminino na parede e dizia que queria lutar contra o machismo dentro do programa.

"Não sou contra o BBB, apenas queria que as pessoas se mobilizassem por outras coisas. Estou tentando mudar por fora e agora quero mudar por dentro. Quero estar dentro da casa para falar de machismo, racismo, homofobia, para que as pessoas tenham contato com alguém que tenha algo no cérebro", opinava ela.

Winter acabou não sendo escolhida para participar do "BBB 14". A vencedora daquela edição foi a modelo Vanessa Mesquita, que disputou a final com Angela de Moraes (2º lugar) e Clara Aguilar (3º lugar).

Entretenimento