PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Economista compara 'jabutis' da MP da Eletrobras à intervenção de Dilma

Economista Elena Landou comparou "jabutis" na MP da privatização da Eletrobras e intervenção no governo Dilma - Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Economista Elena Landou comparou 'jabutis' na MP da privatização da Eletrobras e intervenção no governo Dilma Imagem: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Anne Warth

18/06/2021 13h00Atualizada em 18/06/2021 14h16

A aprovação da medida provisória que permite a privatização da Eletrobras, repleta de "jabutis", é um retrocesso para a intervenção no mercado elétrico no mesmo nível da feita pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT), critica a economista Elena Landau, sócia do escritório de advocacia Sergio Bermudes, com a experiência de quem coordenou as privatizações no governo FHC.

Para ela, só estão a favor o governo, os lobistas interessados em reserva de mercado e gasodutos e o ministro da Economia, Paulo Guedes, "que quer receber uma estrelinha por ter privatizado uma estatal jogando todo o prejuízo para a sociedade".

Confira os principais trechos da entrevista.

O que a senhora achou do texto da privatização da Eletrobras?

O melhor seria deixar o texto caducar e fazer uma privatização de verdade, com a seriedade que a Eletrobras, o setor elétrico e a sociedade mereciam. O texto piorou. O cenário era apenas extrair o máximo de recursos possíveis para atender currais eleitorais.

Quem mais errou nas discussões sobre a Eletrobras?

As pessoas adoram falar mal do Congresso, mas o pior ator foi o Executivo. Quando viram que sairia um texto inconstitucional na Câmara, era hora de ter resgatado a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que impede a inclusão dos 'jabutis'. Não apenas não fizeram isso, como o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, elogiou o relatório, que invade a competência dele.

Dá para comparar a MP da Eletrobras com a editada por Dilma?

A MP da Eletrobras é um retrocesso do mesmo nível da MP 579. É uma intervenção completa no setor elétrico. Isso é natural num governo petista, mas num governo que se diz liberal é espantoso. Só estavam a favor o governo, os lobistas interessados em reserva de mercado e gasodutos e Paulo Guedes, que quer receber uma estrelinha por ter privatizado uma estatal jogando todo o prejuízo para a sociedade. Foi um desmonte completo do setor elétrico, tudo feito de forma açodada.

O que a votação da MP da Eletrobras expõe sobre as relações entre governo e Congresso?

O governo perdeu o controle do setor elétrico. E vai perder também o controle das reformas administrativa e tributária. Todo mundo que é a favor das reformas bem feitas está muito preocupado.

As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Notícias