PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Parceira da Pfizer, BioNTech tem lucro de 1,13 bilhão de euros no 1º tri

Já o lucro operacional da BioNTech ficou em 1,64 bilhão de euros (R$ 10,42 bilhões), ainda segundo a BioNTech - Christian Charisius/Reuters
Já o lucro operacional da BioNTech ficou em 1,64 bilhão de euros (R$ 10,42 bilhões), ainda segundo a BioNTech Imagem: Christian Charisius/Reuters
do UOL

Do UOL, em São Paulo

10/05/2021 21h14Atualizada em 10/05/2021 21h45

O laboratório alemão BioNTech, parceiro da Pfizer no desenvolvimento da vacina contra a covid-19, anunciou hoje ter alcançado lucro de 1,13 bilhão de euros (cerca de R$ 7,18 bilhões na cotação atual) no primeiro trimestre de 2021 — revertendo o prejuízo de 53,4 milhões de euros (R$ 339,19 milhões) registrado no mesmo período do ano passado.

Já o lucro operacional, sem o desconto de impostos, ficou em 1,64 bilhão de euros (R$ 10,42 bilhões).

A empresa ainda encerrou o mês de março com receita estimada de 2,05 bilhões de euros (R$ 13,02 bilhões), ante os 27,7 milhões (R$ 175,95 milhões) observados no primeiro trimestre de 2020. O resultado é justificado principalmente pelo "rápido fornecimento de vacinas contra a covid-19 em todo o mundo", segundo divulgado pela BioNTech em comunicado.

Ao todo, o laboratório projeta receber 12,4 bilhões de euros (R$ 78,76 bilhões) com os contratos de venda de vacinas, que somam cerca de 1,8 bilhão de doses. Para 2021, o objetivo é atingir uma capacidade de produção de 3 bilhões de doses — número que pode aumentar no ano que vem.

Vacina aos mais jovens

Mais cedo, a FDA (Agência de Alimentos e Medicamentos) — a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) dos Estados Unidos — anunciou ter autorizado a aplicação da vacina da Pfizer/BioNTech em crianças e adolescentes de 12 a 15 anos, ampliando o programa de imunização do país.

A vacina está disponível nos EUA sob uma autorização de uso emergencial para pessoas a partir dos 16 anos. A Pfizer e a BioNTech disseram ter iniciado o processo de aprovação total para essas idades na semana passada.

É a primeira vacina contra a covid-19 a ser autorizada para essa faixa etária nos EUA, o que é visto como um passo importante para levar as crianças de volta às escolas com segurança.

No Brasil, o imunizante começou a ser aplicado apenas recentemente e somente nas capitais, já que os frascos precisam ser armazenados a temperaturas baixíssimas e, portanto, requerem uma logística mais complexa. Um novo lote de pouco mais de 1 milhão de doses começou a ser distribuído aos estados hoje.

(Com Reuters)

Notícias