PUBLICIDADE
Topo

Ex-guarda de campo de concentração nazista de 95 anos é acusado formalmente na Alemanha

13/07/2020 15h18

Berlim, 13 Jul 2020 (AFP) - Um ex-guarda SS de um campo de concentração nazista que tem hoje 95 anos foi acusado formalmente por cumplicidade em centenas de assassinatos, anunciou nesta segunda-feira (13) à AFP um porta-voz de um tribunal de Wuppertal, Alemanha.

Essa acusação formal é um dos últimos procedimentos judiciais sobre atrocidades nazistas que continuam em vigor na Alemanha.

Outro ex-guarda de campo de concentração de Stutthof, julgado em outubro em Hamburgo, espera o veredito dos juízes para a próxima semana.

O novo processo do guarda nazista ainda não é garantido, pois a justiça deve decidir antes se ainda é apto para ser enviado diante dos tribunais, devido à sua idade.

A justiça alemã acusa o ex-guarda, cuja identidade não foi revelada mas que tinha 19 anos quando sucederam os fatos, de ter pertencido a um grupo SS e de por ter servido como guarda do campo de Stutthof, localizado a 40 km da cidade de Gdansk, agora na Polônia.

Se for julgado, compareceria apesar de seus 95 anos diante de um tribunal para jovens, devido à idade que tinha quando os eventos ocorreram.

Em Hamburgo, Bruno Dey, de 93 anos, é julgado desde outubro por cumplicidade no assassinato de 5.230 presos como guarda SS em abril de 1944 e abril de 1945 nesse campo.

A acusação exigiu três anos de prisão contra o acusado e o veredicto é esperado para 23 de julho.

No ano passado, a rede regional pública NDR alegou que 29 processos de crimes nazistas ainda estavam em andamento na Alemanha.

yap/mc/eg/mb/aa

Notícias