PUBLICIDADE
Topo

Perfis bombam nas redes ao mostrar "preço real" de carros inflacionados

"É Barato se Incomodar" e "Resto de Pobre" já viraram febre no Instagram - Arte/Instagram
"É Barato se Incomodar" e "Resto de Pobre" já viraram febre no Instagram
Imagem: Arte/Instagram
do UOL

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

30/05/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Perfis reúnem ofertas de carros desejados por preços honestos
  • Ideia do "É Barato se Incomodar" veio de um grupo de WhatsApp
  • Intenção é mostrar que dá para comprar um veículo antigo sem pagar uma fortuna

Está cada vez mais difícil achar um carro antigo em bom estado e por um preço razoável na internet. No caso de alguns modelos, alguns comerciantes tiram proveito da velha lei de "oferta e procura" para inflacionar o mercado jogando os valores nas alturas.

Foi esse cenário que motivou o surgimento de perfis no Instagram com um curioso objetivo: selecionar veículos clássicos por preços camaradas.

Uma das contas mais famosas é o "É Barato se Incomodar". O perfil foi criado em 2019 por dois amigos (que preferiram não se identificar) residentes em partes completamente opostas do país e que, curiosamente, nem se conhecem pessoalmente.

"A história começou em um grupo de discussão na internet no qual a gente trocava fotos e anúncios de carros que achávamos interessantes. Migramos para o WhatsApp e aí um dia me falaram que eu só publicava coisa ruim. Daí surgiu a ideia de criar um perfil no Instagram com os anúncios que a gente achava na internet", revela um dos editores.

O impulso que faltava veio quando o outro editor começou a procurar um veículo mais barato para o dia-a-dia.

"Eu havia acabado de voltar de viagem do exterior e não tinha muito dinheiro. Então resolvi vender meu Subaru Impreza depois de quase 10 anos e comecei a procurar um carro mais barato de manter. Só que todo carro que meu amigo sugeria vinha seguido do bordão que hoje virou o nome da nossa conta no Instagram (risos)", conta.

Os editores garimpam as ofertas praticamente todos os dias em sites de classificados online e aplicativos de venda.

Nesses 12 meses e depois de acumular quase 100 mil seguidores, os editores acumulam várias histórias engraçadas, como a de uma jornada envolvendo um grupo de garotos que saíram de São Paulo para "resgatar" uma Mercedes-Benz.

"Eles foram de São Paulo até o interior de Minas Gerais para buscar a Mercedes e turbinaram o carro na rua mesmo. E ainda conseguiram voltar ilesos para casa".

Hoje, mais do que uma forma de divertir e aproximar pessoas com um interesse em comum, o "É Barato se Incomodar" virou uma espécie de incentivo para quem está procurando um veículo antigo ou raro.

"Nosso objetivo é mostrar que é possível ter um carro legal gastando pouco dinheiro na compra e se divertindo sem ser refém das pessoas que gostam de ganhar dinheiro em cima dos sonhos das pessoas".

Reunião entre amigos

Essa filosofia também é seguida por Rafael Peres, que mantém o perfil "Resto de Pobre". O nome veio de uma brincadeira com o termo "resto de rico", popularizado por entusiastas que gostam de adquirir carros de luxo usados. Segundo ele, a ideia surgiu de uma conversa com sua esposa.

"Ela me mostrou como era fácil administrar duas contas no Instagram e aí veio a ideia de criar o perfil. Fiz a primeira postagem antes de dormir, seguindo a ideia de encontrar um automóvel que te realizasse por menos de R$ 10 mil. Quando acordei a conta já tinha 17 seguidores, e o número só cresceu desde então", afirma.

O perfil tem apenas um mês de vida e já acumula 3.400 seguidores. Assim como os editores do "É Barato se Incomodar", Rafael realiza buscas diariamente e diz que o clima entre seguidores é de descontração.

"Hoje a diversão que era procurar essas máquinas virou um compromisso com os seguidores, que agregam em conhecimento, informações e histórias interessantes. O perfil virou uma grande sala de conversa sobre o assunto que mais gostamos".

Além de ser uma fonte de diversão e risadas, o "Resto de Pobre" já ajudou até quem estava prestes a fechar negócio.

"Todo dia aparece alguma mensagem interessante de gente agradecendo pelo nosso trabalho e também de quem se livrou de uma dor de cabeça maior depois de ver as postagens ou ler os comentários", conclui.

Notícias