PUBLICIDADE
Topo

Almagro pede diálogo da UE com países da OEA na lista negra de lavagem de dinheiro

28/05/2020 00h12

Washington, 28 Mai 2020 (AFP) - O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, expressou nesta quarta-feira solidariedade aos países da América Central e do Caribe incluídos na lista negra da União Europeia sobre lavagem de dinheiro e solicitou ao bloco continental um "diálogo significativo" sobre o assunto.

Bahamas, Barbados, Jamaica, Nicarágua e Panamá foram incluídos na lista que a Comissão Europeia propôs em 7 de maio ao apresentar sua nova metodologia para combater a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo.

Nesta quarta, 15 países da América Central e do Caribe apresentaram ao Conselho Permanente da OEA uma declaração "solidária" com os países envolvidos, nos quais solicitam à UE que reveja sua decisão, alegando sofrer "a pior crise econômica e de saúde" devido à COVID-19.

Almagro disse que compartilhou as preocupações dos membros da OEA, "além do direito da UE de exercer sua jurisdição" para manter a estabilidade de seu sistema financeiro.

"Unimos a expressão de solidariedade e também instamos a UE a entrar em um diálogo significativo com os países afetados, a fim de proporcionar a eles a oportunidade de realizar trocas francas e completas antes da entrada em vigor dessa regra", afirmou.

"O elo não pode ser rompido no lado mais fraco", acrescentou.

Almagro destacou os esforços "inquestionáveis" dos países da OEA para "combater esses flagelos" e alertou para as consequências econômicas adversas da integração dessa lista, que, segundo ele, seriam exacerbadas no contexto da pandemia.

Convidado como observador, o delegado da UE, Michael Curtis, lembrou que a lei europeia exige a identificação de "deficiências estratégicas" e enfatizou que, devido à emergência de saúde, os novos regulamentos, que ainda precisam ser aprovados, somente serão aplicados a partir de 1 de outubro.

Durante a videoconferência, o embaixador do Brasil, Fernando Simas Magalhães, destacou que o país é membro do Grupo de Ação Financeira da América Latina (Gafilat) e apelou a "não baixar a guarda na luta contra a lavagem de dinheiro", apesar da pandemia.

Os Estados Unidos foram além e expressaram sua discordância com a declaração, considerando que a OEA não é o fórum apropriado para esse debate, nem a discussão deve estar vinculada à pandemia.

ad/dga/lca

Notícias