PUBLICIDADE
Topo

Japão aumentará restrições de entrada no país a partir desta sexta-feira

26/03/2020 13h46

Tóquio, 26 mar (EFE).- O governo do Japão proibirá a partir desta sexta-feira a entrada no país de viajantes que estiveram em 21 países europeus ou no Irã, nos dias anteriores à chegada, como medida para impedir a propagação do novo coronavírus.

A informação foi confirmada à Agência Efe nesta quinta-feira pela delegação diplomática da Espanha em Tóquio.

Além do país ibérico, o Itália, que concentra o maior número de casos e mortes pelo patógeno, Alemanha, Andorra, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslovenia, Estônia, França, Holanda, Irlanda, Liechtenstein, Luxemburgo, Malta, Mônaco, Portugal, Noruega, Suiça, Suécia e Cidade do Vaticano, são alvos da medida.

No início da semana, o ministro de Relações Exteriores do Japão, Toshimitsu Motegi, já havia adiantado a medida, afirmando que seria restrita a chegada de pessoas que estiveram em algum dos 21 países europeus e Irã nas duas semanas prévias à chegada, exceto em algumas excecções.

A informação recebida pela delegação espanhola chega um dia depois da chancelaria japonesa elevar o alerta de viagem ao nível 3 (de quatro existentes), desaconselhando que os cidadãos deixassem o país para qualquer lugar do mundo.

Anteriormente, as fronteiras do Japão estavam fechadas apenas para quem havia passado em algumas regiões da Itália, Espanha, Suíça, Irã, algumas províncias da China e da Coreia do Sul, além de San Marino e Islândia.

Além disso, se manterá a determinação de que todo viajante que vier da maior parte da Europa, dos países mais afetados da Ásia e dos Estados Unidos, cumpra quarentena de duas semanas.

Até o momento, o Japão contabilizou 2.003 casos de infecção pelo novo coronavírus, 712 deles de pessoas no cruzeiro Diamond Princess. Foram registradas 55 mortes, incluindo as dez de passageiros da embarcação.

Notícias